PUBLICIDADE
Topo

Javier Bardem defende Woody Allen: "Trabalharia com ele amanhã"

Javier Bardem em cena de "Onde os Fracos Não Têm Vez" (2007) - Divulgação
Javier Bardem em cena de "Onde os Fracos Não Têm Vez" (2007) Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

17/10/2018 09h34

O ator Javier Bardem voltou a defender Woody Allen de acusações de abuso sexual levantadas por sua ex-enteada, Dylan Farrow. O espanhol, que foi dirigido por Allen em "Vicky Cristina Barcelona", ainda disse que voltaria a trabalhar com o cineasta sem hesitar.

"Ele é um gênio", comentou Bardem durante o Lumière Film Festival, segundo a "Variety". "Eu trabalharia com ele amanhã. O status legal de Woody não mudou desde que filmamos 'Vicky Cristina Barcelona', em 2007. Ele nunca foi condenado por nenhum crime. Acusações públicas são muito perigosas. Se um dia houver um julgamento e ele for condenado, eu mudarei a minha opinião".

Bardem foi aplaudido entusiasticamente pela plateia ao defender o diretor americano, que continua muito popular entre críticos e cinéfilos franceses. A acusação contra Allen data dos anos 1990, quando Dylan, então com sete anos, disse à mãe Mia Farrow que o diretor a havia tocado de forma inapropriada.

Um processo investigativo na época considerou que não havia provas suficientes para condenar Allen, mas o juiz negou ao cineasta o direito de visitar os filhos. Segundo ele, outros relatos do comportamento do diretor em relação a Dylan provavam que Allen era uma ameaça ao seu bem-estar.

Durante o evento no Lumière Film Festival, Bardem ainda refletiu sobre outro de seus papéis mais marcantes, incluindo o vilão de "Onde os Fracos Não Tem Vez", que lhe rendeu o Oscar. O ator espanhol falou sobre o famoso corte de cabelo "tigelinha" do personagem.

"Aquele cabelo veio de um livro que os irmãos Coen me mostraram. Uma foto tinha um homem dos anos 1960, no meio de um bordel, com um corte de cabelo daquele jeito. Era uma foto muito estranha", admitiu Bardem.

"Os Coen estavam morrendo de rir quando me mostraram a foto, obviamente. Então um cabeleireiro chegou e começou a cortar meu cabelo igual ao da foto. Os Coen vieram dar uma olhada no resultado e riram de novo, na minha cara. Eu tive que viver com aquele cabelo por quatro meses", disse o ator.

"Foi a coisa mais humilhante que eu já passei. Eu andava por aí com uma touca no cabelo", comentou ainda. Segundo Bardem, policiais locais pararam o seu carro diversas vezes graças ao visual bizarro, e o ator teve que explicar que estava rodando um filme.