Topo

Música


Elza Soares, Karol Conká, Maiara e Maraisa e cantoras gravam hino feminista

Reprodução
Artistas reunidas em clipe do projeto "Escuta as Minas" Imagem: Reprodução

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

16/10/2018 15h45

Elza Soares, Karol Conká, Maiara e Maraisa, Tiê, Martnália, Lan Lanh, As Bahias e a Cozinha Mineira e o grupo Mulamba se reuniram para cantar juntas em uma música que destaca a luta feminina para conquistar espaço.

As artistas encabeçam o projeto "Escuta as Minas", do Spotify, que reuniu as artistas em um clipe e um documentário que traz não só a música inédita como também depoimentos das artistas sobre feminismo e a carreira.

A canção original criada para a campanha reúne trechos de músicas de várias épocas. Estão lá versos de "Ô Abre Alas" (1899), de Chiquinha Gonzaga, "Reposta" (1970), de Maysa, "Relicário" (1995), escrita por Nando Reis e sucesso na voz de Cássia Eller, "O Que Se Cala" (2018), letra de Douglas Germano cantada por Elza Soares, "A Culpa é Dele" (2018), de Marília Mendonça cantada em parceria com a dupla Maiara e Maraisa, "Mulamba" (2017), da banda que leva o mesmo nome, e "Bate a Poeira" (2013), de Karol Conká.

As intérpretes também são homenageadas pelas artistas. Raquel Virgínia e Assucena Assucena, do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira, representam Chiquinha Gonzaga cantando "Ô Abre Alas". As artistas falam da importância de representarem as travestis e as mulheres trans cantando versos tão fortes e atuais que foram escritos há quase 120 anos.

Tiê, que interpreta a cantora Maysa, lembra de como sua avó, a atriz Vida Alves, foi chamada de puta ao protagonizar o primeiro beijo na TV. "Fui criada com ideais feministas, mas não se falava claramente sobre isso. Hoje digo para as minhas filhas que somos sim feministas", conta a cantora.

Completam o time de cantoras e intérpretes do projeto Lan Lanh, que foi percussionista e parceira de Cássia Eller e homenageia a cantora, o grupo de mulheres Mulamba, a sambista Mart'nália, a dupla "femineja" Maiara e Maraisa, a rapper Karol Conká e a veterana Elza Soares, que destaca: "Sou feminista desde que nasci".

"A luta para ser ouvida não é algo do nosso tempo. Estamos contando nossas revoluções há séculos. Algumas enfrentaram a resistência e abriram espaço. O movimento cresceu. É hora de evocar as pioneiras e inspirar uma nova geração", destaca o manifesto "Escuta as Minas".

O clipe com a música e o documentário podem ser vistos na plataforma de streaming e no site do projeto www.escutaasminas.com.br

Errata: o texto foi atualizado
17/10/2018 às 08h33
Na versão inicial do texto, o grupo As Bahias e a Cozinha Mineira foram chamados erroneamente de As Baianas e a Cozinha Mineira. O conteúdo foi corrigido.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber