Topo

Camila Cabello surpreende e leva Anitta para o palco do Z Festival

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

14/10/2018 22h00

Camila Cabello preparou uma surpresa para os fãs de São Paulo que foram ver seu show solo no Z Festival na noite deste domingo (14). A cantora cubana, que nunca escondeu seu amor por Anitta, levou a brasileira para cantar com ela no palco do Allianz Parque.

Anitta surgiu no meio do show e entrou ao som de “Paradinha”, primeira música que ela lançou em espanhol. Camila Cabello cantou e dançou junto com a brasileira, que retribuiu a ex-Fifth Harmony fazendo um dueto com ela em “Real Friends”.

“Maravilhosa. Vocês amam ela que nem eu?”, disse Anitta em português assim que terminou de cantar “Paradinha”.

Francisco Cepeda/AgNews
Camila Cabello se apresenta com Anitta durante o Z Festival Imagem: Francisco Cepeda/AgNews

Camila, que se diz “meio brasileira”, então perguntou em inglês. “Gostaram da surpresa? Como se diz rainha em português?”, “rainha”, respondeu Anitta.

O diálogo bilíngue continuou. “Anitta, você me ajuda a cantar ‘Real Friends’?”, pediu Camilla. Conversando com a cantora pop, Anitta respondeu em inglês “Ajudo, mas estou nervosa porque essa é a minha música favorita”, já entoando os primeiros versos do dueto.

Camila Cabello já tinha se apresentado no Z Festival em Porto Alegre e Uberlândia, mas o show de São Paulo foi o primeiro a receber um convidado especial.

A presença de Anitta pegou todos de surpresa, já que ela havia se apresentado mais cedo no Rio de Janeiro com seu Show das Poderosinhas e não foi escalada para o Z Festival em nenhuma das cidades.

O festival ainda passa por Curitiba na próxima terça-feira (16), também com encerramento de Camila Cabello.

Francisco Cepeda/AgNews
Camila Cabello se apresenta durante o Z Festival, no Allianz Parque, em São Paulo Imagem: Francisco Cepeda/AgNews

Pop latino

Fazendo suas primeiras apresentações solo no Brasil, a mais carismática das antigas integrantes do Fifth Harmony provou que segura bem sozinha uma apresentação nos moldes de estádio.

Filha de mãe cubana e pai mexicano, Camila Cabello nasceu em Havana e se radicou nos EUA ainda na infância. Ainda assim, manteve intacta sua latinidade.

Antes mesmo de receber Anitta no palco, o show da cubana já trazia semelhanças com o da brasileira em algumas partes. Camila investe no gogó, mas a dança também é parte essencial da sua apresentação.

Ela sabe rebolar e interage com seus bailarinos (homens e mulheres) nas coreografias, imitadas por parte do público. O público pode vê-la assim em “Inside Out” e durante a execução de seu maior hit, “Havana”, que encerra a apresentação de pouco menos de uma hora e meia.

Há também espaço para baladas mais tranquilas como “Consequences”, tocada no teclado, e “Something’s Gotta Give”. Camila aproveita esses momentos para conversar com seu público, formado em sua maior parte por adolescentes, com uma boa parcela integrantes da comunidade LGBTQ+. O Allianz Parque ficou colorido desde o início da tarde, quando as atrações de abertura se apresentaram.

Iwi Onodera/UOL
Camila Cabello se apresenta durante o Z Festival, no Allianz Parque, em São Paulo Imagem: Iwi Onodera/UOL


“Eu quero que vocês sejam livres pra ser quem vocês são e amem quem vocês queiram” e “vejo vocês todos os dias escolhendo amor em vez de medo” são algumas das mensagens passadas pela cantora, sempre olhando nos olhos dos fãs e interagindo em português e inglês, enquanto lá embaixo meninas e meninos choram copiosamente olhando a fada cubana apelido que Camila ganhou de seus seguidores.

#elenão

Mais uma vez o público apostou no coro de “ele, não”. O protesto contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), que já tinha acontecido antes no show do Rouge, veio mais tímido depois da música “Something’s Gotta Give”, que trouxe imagens de protestos nos Estados Unidos exibidos no telão.

Atos feministas, contra o racismo e até mesmo imagens de guerra aparecem atrás da cantora, enquanto ela usa toda sua voz para cantar o refrão que diz “alguém tem que ceder, alguém tem que quebrar, mas tudo que eu faço é dar, e tudo que você faz é tomar. Alguém tem que mudar, mas eu sei que não vai.”

Iwi Onodera/UOL
Público leva bandeiras do movimento LGBTQ+ ao Allianz Parque Imagem: Iwi Onodera/UOL

Público colorido e satisfeito

Mesmo com falhas de som na primeira música, “Never Be The Same”, canção que dá nome à turnê, e um show enxuto, Camila Cabello agradou os fãs paulistas. “Brasil, vocês são os melhores fãs do mundo”, agradeceu ela em português para uma plateia cheia de bandeiras, bastões e camisetas nas cores do arco-íris, símbolo LGBTQ+.

No público, também não faltaram referências a Cuba, país de origem da cantora. Uma fã na pista VIP viu o show enrolada na bandeira da ilha, enquanto um grupo vestia camiseta personalizadas com agradecimentos escritos em espanhol e o apelido fada cubana.

Esta é a primeira vez que Camila Cabello traz sua turnê solo ao Brasil. Antes de se apresentar em São Paulo, a ex-Fifth Harmony que já esteve com o seu antigo grupo no Brasil em 2014 e 2016 tocou no Z Festival de Porto Alegre e Uberlândia. Ela ainda passa por Curitiba na próxima terça (16).

Mais Pop