Topo

Ex-de Catra diz que era a "principal": "Não ficava com outra na minha frente"

Reprodução/RedeTV
Silvia Regina, ex de Catra Imagem: Reprodução/RedeTV

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

11/10/2018 07h19

Silvia Regina, mulher de Mr. Catra, contou no "Superpop" de quarta-feira (10) como anda a vida um mês após a morte do cantor, que lutava contra um câncer no estômago. Ela diz como dá conta dos 32 filhos e que não tem ciúme das outras mulheres que passaram pela vida do funkeiro.

"Ele teve mil mulheres, esposa [era] eu. Onde ele ia, marcava o lugar dele. As pessoas acham que ter três, quatro mulheres era orgia, bagunça, mas não. Tem que respeitar. Ele não ficava com outra na minha frente, nunca vi agarrado, se beijando", explica.

"Foram 28 filhos de sangue e quatro adotivos, eu tive cinco e cuidava de 15. Moramos todos no mesmo condomínio, mas cada uma [mulher] em sua casa", afirma, dizendo que, para o café da manhã, comprava 50 pães diariamente.

Câncer

Silvia lembra que o cantor foi fazer exames após se sentir mal de madrugada. "Quando descobrimos [o câncer] estava na fase 2. No começo ele até queria operar, mas o médico disse que seria um pouco arriscado e que teriam que reverter com tratamento. Fiquei desesperada e falei: 'o que o médico falar, você vai fazer, parar de fumar, de beber'. Ele parou", recorda, caindo no choro.

Desde a perda, é difícil se acostumar. "Eu não acredito, acho que ele está viajando e vai chegar. À noite eu durmo, porque ele trabalhava à noite. De manhã, vinha o desespero", desabafa.

Bens

Silvia afirma que não há briga por herança, já que Catra gastou bastante do que recebeu em vida com a família. "Não existe um homem com 32 filhos rico. Ele deixou todo mundo com saúde para trabalhar. Quando ele ganhava R$ 100 mil, alugava vans e viajava com todo mundo. Dava o que todo mundo queria, não era materialista".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Funk