PUBLICIDADE
Topo

James Gunn pode escrever e dirigir "Esquadrão Suicida 2"

James Gunn, diretor de "Guardiões da Galáxia" - Ian Gavan/Getty Images for Disney
James Gunn, diretor de "Guardiões da Galáxia"
Imagem: Ian Gavan/Getty Images for Disney

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

09/10/2018 15h57

Isso que é reviravolta: James Gunn, recentemente demitido pela Marvel/Disney da produção de "Guardiões da Galáxia Vol. 3", vai emprestar os seus talentos de roteirista e diretor para a produtora rival, a DC. A Warner Bros. confirmou a informação para o site "io9" que está negociando com o cineasta.

Duas fontes afirmaram ao "The Wrap" a mesma informação. Gunn seria escalado para escrever e possivelmente dirigir "Esquadrão Suicida 2", continuação do filme de 2016 sobre o grupo de vilões "redimidos" que trabalham para uma agência governamental.

Gunn foi demitido da Disney após posts de conteúdo ofensivo, que havia publicado em seu Twitter anos atrás, voltarem à tona. O diretor se desculpou pelas piadas contidas nos tweets, que tocavam em assuntos sensíveis como pedofilia e estupro.

Desde a demissão, no entanto, uma campanha pela recontratação de Gunn foi movimentada pelos fãs e até mesmo pelos atores da franquia. Os protagonistas de "Guardiões" assinaram uma carta conjunta, postada nas redes sociais, em que expressavam o seu apoio ao cineasta.

O primeiro "Esquadrão Suicida", dirigido e escrito por David Ayer ("Dia de Treinamento"), foi um fracasso de crítica e um sucesso de bilheteria. O longa arrecadou mais de US$ 750 milhões ao redor do mundo.

Desde 2016, os burburinhos sobre uma continuação circulam pela DC/Warner. No entanto, a agenda lotada de astros como Will Smith, Margot Robbie e Viola Davis impede que uma data definitiva seja marcada para o filme.

A própria Robbie, que foi o destaque do primeiro filme na pele de Arlequina, preferiu se aventurar em outros projetos dentro da própria DC. Ela vai reprisar o papel em "Aves de Rapina", que tem data marcada para 7 de fevereiro de 2020.