PUBLICIDADE
Topo

Stan Lee quebra silêncio sobre acusações de maus tratos e defende filha

Stan Lee na estreia de "Vingadores: Guerra Infinita", em Los Angeles - Charley Gallay/Getty Images
Stan Lee na estreia de "Vingadores: Guerra Infinita", em Los Angeles Imagem: Charley Gallay/Getty Images

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

08/10/2018 10h15

Stan Lee quer colocar um fim nos boatos que circulam sobre ele. O quadrinista de 95 anos conversou com o "Daily Beast" para dar o seu lado das histórias que circulam sobre empresários, amigos, familiares e funcionários roubando o seu dinheiro, maltratando-o ou se aproveitando de sua avançada idade.

Reportagens anteriores do mesmo "Daily Beast" e do "The Hollywood Reporter" escancararam os problemas de Lee desde a morte de sua mulher, Joan, no ano passado. Jerry Olivarez, um amigo de longa data de Lee, acabou sendo processado pelo quadrinista por se apropriar de altas somas de dinheiro sem sua permissão.

Keya Morgan, ex-empresário do quadrinista, também foi afastado e processado por maus tratos. Ao seu lado, atualmente, Lee tem apenas a filha J.C., que algumas reportagens também classificam como uma figura "suspeita", de pavio curto, que já se comportou de forma abusiva em relação ao quadrinista.

Kirk Schenck, atual advogado de Lee, defende J.C. das acusações. "O que posso dizer é que o relacionamento deles é complicado. Eles gritam um com o outro às vezes, mas ela é o amor da vida dele, e nunca abusaria dele. Ela é a pessoa que está tentando afastar os urubus. Ela é a Vingadora de Stan", comenta.

A entrevista

Segundo a nova reportagem do "Daily Beast", Lee não está em boa forma fisicamente. Sua audição está prejudicada, sua respiração é difícil e ele não se movimenta muito, passando boa parte dos dias em sua poltrona, fitando o horizonte e conversando sobre os bons e velhos tempos.

"Minha vida não é tão dramática quanto as pessoas tem achado nos últimos meses", comenta Lee logo no começo da entrevista. "Se você me perguntar, eu tenho uma vida maravilhosa. Sou muito sortudo. Eu amo a minha filha, e espero que ela me ame também. Eu gostaria que a minha esposa ainda estivesse aqui".

"Se o comportamento de J.C. é descrito como abusivo pela imprensa, eu gostaria que todo mundo fosse abusivo como ela", continua. "Ela é uma filha maravilhosa. Nós eventualmente temos alguma briga, mas isso é normal".

O quadrinista caracteriza o afastamento do empresário Keya Morgan como uma simples transação profissional. "Ele esteve aqui por seis meses. Eu me decepcionei bastante com ele. Ele me ajudava a fazer algumas coisas do dia-a-dia, e achei que poderia ajudar J.C. também. Não funcionou, então eu o dispensei", diz.

Lee desmente o vídeo filmado por Morgan em que ele aparece dizendo que seu Schenck havia fornecido drogas para J.C. "As pessoas estão sempre fofocando sobre isso ou aquilo nesta casa. Eu acho que fiquei confuso, e estava falando de outra pessoa. Não é algo que eu diria diretamente", comenta.

Por fim, o quadrinista ainda minimiza o fato que a filha depende dele financeiramente. "J.C. não é uma adolescente. Eu vou deixar todo esse dinheiro para ela de qualquer forma, então ao invés de esperar até que eu morra, ela pode usar o dinheiro agora. Não há problema nenhum nisso", diz.

"É claro que eu gostaria que J.C. gastasse o dinheiro com sabedoria. Eu trabalhei a minha vida inteira para isso", continua. "No entanto, eu não entendo qual é a dessa marcação da imprensa em cima de nós. Somos pai e filha. Às vezes discordamos de alguma coisa, mas isso não é noticiário".