PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Provocador, brasileiro Butcher Billy mistura presidenciáveis com pop art

Artes de Butcher Billy com presidenciáveis - Butcher Billy/Divulgação
Artes de Butcher Billy com presidenciáveis
Imagem: Butcher Billy/Divulgação

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

01/10/2018 10h52

O artista brasileiro Butcher Billy tem feito sucesso internacional, com direito a artes para as séries da Netflix "Black Mirror" e "Stranger Things", mas em um projeto recente voltou-se ao Brasil. Ele retratou os presidenciáveis de 2018 ao seu estilo: provocador, os colocou no meio da sua pop art, algumas vezes como personagens que retratam o momento dos candidatos.

Billy foi de Lula e Haddad a Bolsonaro, e de Amoedo a Cabo Daciolo em suas representações.

"A contagem regressiva para as eleições começou com o mundo assistindo ao destino do maior país da América do Sul e como isso afetará outras nações. Eu tenho prestado atenção aos designs horrorosos das campanhas de marketing dos candidatos, então, decidi dar aos principais deles uma mãozinha, no estilo Butcher Billy, é claro, ajudando a pintar uma imagem que parece mais com o que as pessoas querem ver", explicou o artista, no Instagram.

Geraldo Alckmin aparece como o Aquaman, o que parece uma clara referência aos problemas hídricos que teve em seu governo no estado de São Paulo. Lula é retratado como um smurf e a candidatura do PT, com Fernando Haddad e Manuela D'Avila, aparece como um dragão de três cabeças - sendo uma delas do próprio Lula.

LEIA TAMBÉM

Já o deputado Jair Bolsonaro, acusado de machismo, figura de cabelos loiros compridos, batom rosa e olhos pintados - lembrando, por exemplo, Hebe Camargo. Ciro Gomes, chamado de descontrolado por episódios em que se exalta, é um "ursinho carinhoso". Guilherme Boulos, do PSOL, é o Robin Hood, que tira dos ricos para dar aos pobres.

"A ideia de sacanear as campanhas eleitorais dos candidatos brasileiros surgiu há 4 anos, na real, quando lancei uma série parecida. O processo foi o mesmo que eu uso pra qualquer outro projeto meu - eu pesquiso conceitualmente sobre o sujeito até que esse conceitual se cruze com o visual - das referências que eu tenho absorvidas da cultura pop em geral. E como eu sempre uso referência visual dos roqueiros gringos, nada mais justo que fazer o mesmo com os políticos brasileiros, que são o equivalente aos rockstars no Brasil", disse ele, ao UOL.

O artista

Butcher Billy, de 40 anos, gosta de arte desde a infância, e há alguns anos seus projetos misturando estrelas da música e dos quadrinhos a pop art começaram a fazer sucesso na internet.

Ele já teve projetos como uma homenagem a David Bowie - que aparecia misturado a Coringa, Michael Jackson e até Jesus Cristo - ou a série de desenhos em que astros antigos da música apareciam usando tecnologias modernas. Geralmente, Billy causa amor ou ódio, mas vê ambos os sentimentos como vantagem para espalhar seu nome.

"Quando as pessoas amavam, compartilhavam. Quando odiavam, compartilhavam para que outros também odiassem", contou ele, em entrevista recente ao UOL.

Seu grande sucesso aconteceu com os trabalhos em parceria com a Netflix. Ele desenha peças de merchandise para "Stranger Things" e teve ilustrações exibidas em episódios de "Black Mirror".

Entretenimento