PUBLICIDADE
Topo

Bono, do U2, diz que quase morreu em 2016: "Foi muito grave"

Bono, vocalista do U2 - Getty Images
Bono, vocalista do U2 Imagem: Getty Images

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

01/10/2018 15h23

Bono, líder da banda irlandesa U2, deu uma longa entrevista do jornal The Sunday Times, e falou sobre um episódio em 2016 quando refletiu sobre sua própria mortalidade. "Eu quase deixei de existir. Foi algo muito sério. Agora eu estou melhor, mas não estava nada bem", disse ele, sem entrar em detalhes sobre qual problema de saúde enfrentou.

"Ou você tem um episódio como este para enxergar sua própria mortalidade ou alguém próximo de você tem. Chega um ponto da vida em que você precisa fazer perguntas sobre onde você está indo", explicou o músico, com 58 anos.

"As pessoas têm estes momentos onde lidam com a extinção de suas vidas. Pode ser algo psicológico ou físico. E sim, para mim foi físico, mas eu me poupei da parte dramática desta novela".

Vale lembrar que Bono já passou por dois "sustos". Em 2000, ele foi examinado sob suspeita de câncer na garganta, que acabou sendo diagnosticado como negativo. E em 2015 foi levado às pressas após uma queda de bicicleta em Nova York. Na ocasião, ele acabou com fraturas no rosto e no ombro.

E as turnês?

Recentemente, Bono foi obrigado a abandonar um show do U2 em Berlim, na Alemanha, após perder sua voz depois de quatro músicas no show. "Eu já tive vários sinais de alerta. Alguns socos nos últimos anos. Foram alguns cochichos que ouvi e deveria ter levado em consideração", explicou.

Bono usou uma metáfora para ilustrar como se sentiu após o episódio. "Foi a primeira vez que dei com os ombros na porta e ela não abriu. Senti Deus dizendo: 'Na próxima vez, tente bater ou use a maçaneta. Não use seu ombro porque você vai quebrá-lo".

O líder do U2 ainda disse que as turnês usam muito de sua energia. "Eu não consigo fazer mais tantas coisas quanto antes".