PUBLICIDADE
Topo

Jared Leto impressiona, e show do Thirty Seconds To Mars só peca pela falta de novidade

José Norberto Flesch

Colaboração para o UOL

28/09/2018 07h07

Jared Leto é um sujeito cheio de ocupações. Ele circula com roupas da Gucci em qualquer ocasião, divulgando a marca. Ator, já fez vários papéis nas telas, e inclusive foi o Coringa em 'Esquadrão Suicida'. Mas é como vocalista da Thirty Seconds to Mars, banda que mantém com o irmão, Shannon, que ele tem tido mais trabalho e sucesso, e é nesse emprego que ele trabalhou na noite desta quinta (27), em São Paulo. Em show com a casa cheia, mas longe de estar lotada, o 30STM, como também é conhecido o grupo, se apresentou no Espaço das Américas.

Ele canta. O irmão toca bateria. Os dois fazem ao vivo. O resto, quem cuida é a eletrônica. Mas o povo gosta, e muito. Jared faz toda uma performance. É impressionante seu carisma como malabarista. Ele gira, corre, levanta os braços e aponta o microfone para a plateia. O público o segue como se estivesse em frente a um guru. O fato de Jared ser ator facilita a encenação e a interação.

Às 21h40, dez minutos depois do horário previsto, Jared subiu ao palco para começar o show. Com os cabelos longos, lisos e soltos, entrou de bata branca com capa azul brilhante por cima, e óculos escuros. Tudo da Gucci, provavelmente. Durante a performance, por vezes parecia estar ensaiando A Paixão de Cristo (aliás, ninguém nunca teve essa ideia?).

O repertório seguiu à risca o show que a banda fez em Portugal, há pouco mais de duas semanas.

Jared - Stephan Solon/Divulgação - Stephan Solon/Divulgação
Imagem: Stephan Solon/Divulgação

A performance

Depois de "Up in The Air", entra "Kings and Queens". O público canta em coro desde o início.

"Quem quer vir para o palco"', pergunta Leto, depois de "From Yesterday", antecipando o que iria acontecer na última música. Depois ordena: "façam barulho ", no que é prontamente atendido.

Teve bandeira do Brasil em "Do or Die" e, antes de "Rescue Me", umas dancinhas que lembram as de funkeiras brasileiras. Nesta, o rapper Projota fez uma participação especial.

Shannon Leto em ação com o 30STM - Stephan Solon/Divulgação - Stephan Solon/Divulgação
Shannon Leto em ação com o 30STM
Imagem: Stephan Solon/Divulgação

Na terceira parte de um show sem bis, o irmão Shannon Leto canta "Remedy". É apenas a deixa para, pouco depois, Jared sugerir: "se você tem um celular, está é a hora para você colocá-lo pra cima". E vem "The Kill", uma das canções mais cultuadas da banda.

Ainda rolou uma levantada de camisa de Jared, momento em que surgiu um coro de "tira, tira, tira" vindo do público.

Pecou pela falta de novidades. Estava tudo lá: a performance habitual, o repertório previsível e até a habitual "invasão" do palco por fãs. Só não dá para dizer que Jared Leto não sabe entreter uma plateia.