PUBLICIDADE
Topo

Jamie Lee Curtis diz que novo "Halloween" tem paralelo com o #MeToo

Atriz Jamie Lee Curtis no Globo de Ouro 2016 - Reuters
Atriz Jamie Lee Curtis no Globo de Ouro 2016 Imagem: Reuters

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

27/09/2018 11h34

Segundo a estrela Jamie Lee Curtis, o novo "Halloween" vai afirmar a relevância atual da franquia de terror ao se conectar com tema do movimento #MeToo, que explodiu no ano passado, no qual mulheres denunciam casos de assédio sexual.

Em entrevista ao "Entertainment Weekly", Curtis diz não achar que os roteiristas do filme (David Gordon Green, Danny McBride e Jeff Fradley) tenham feito o script para refletir o movimento, mas que a história se presta a esse paralelo de qualquer forma.

"Eu acho que é uma ocorrência natural. Houve uma mudança na forma como pensamos e como agimos. Este é um momento de incrível mudança cultural", comenta. "'Halloween' será mais um filme em que uma mulher toma o comando da história".

"É sobre dizer: 'Eu não sou o que aconteceu comigo. Eu vou escrever minha própria história'", continua. "Este filme será parte de uma onda. Eu não percebi isso até o dia em que começamos a filmar. O que Laurie está fazendo aqui é muito poderoso".

Curtis se refere à sua personagem no filme, Laurie Strode, que no original de 1978 era atacada pelo serial killer Michael Myers. No novo "Halloween", vítima e algoz se reencontram para um "confronto final".

Dessa vez, Laurie tem a ajuda de sua filha, Karen (Judy Greer), e sua neta, Allyson (Andi Matichak). Nick Castle retorna como um envelhecido Myers, sua primeira performance no papel em quarenta anos.

Dirigido por Gordon Green ("Sua Alteza?"), o longa ganhou a bênção do autor do original, John Carpenter, que também criou a trilha sonora. O novo "Halloween" chega aos cinemas brasileiros em 25 de outubro.