PUBLICIDADE
Topo

Ele, sim! Por que Jared Leto é o Messias que precisamos em 2018

Parece o Jesus Cristo das antigas vinhetas do SBT, mas é o ator e músico Jared Leto - Reprodução
Parece o Jesus Cristo das antigas vinhetas do SBT, mas é o ator e músico Jared Leto Imagem: Reprodução

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

27/09/2018 04h00

Em tempos de eleição, época em que "salvadores da pátria” pululam em campanhas, o Brasil tem um encontro marcado com um Messias. Carismático e muito idolatrado, ele é seguido por milhões nas redes sociais, mas não figura em pesquisas de intenção de voto e nem está concorrendo a algum cargo público.

Estamos falando do ator e músico Jared Leto, que volta ao Brasil esta semana para se apresentar três vezes com o grupo Thirty Seconds to Mars em São Paulo (nesta quinta, 27, no Espaço das Américas), Porto Alegre (29, Pepsi on Stage) e Curitiba (30, Teatro Positivo).

Inclinações musicais à parte, é preciso reconhecer: o vocalista, também vencedor do Oscar, é dono de carisma e magnetismo invejáveis. Tem o dom de transformar suas apresentações em grandes cultos musicais. A palavra de Leto pode ser resumida na confluência do amor, da esperança e da mais saudável diversão —porque ninguém é de ferro.

Entenda por que ele se transformou em um dos grande Messias do pop.

16.out.14 - A banda Thirty Seconds to Mars, do vocalista e astro de Hollywood Jared Leto, faz show no Espaço das Américas, em São Paulo - Manuela Scarpa/Photo Rio News - Manuela Scarpa/Photo Rio News
Imagem: Manuela Scarpa/Photo Rio News

Mensagem

Na Bíblia, Messias é o salvador prometido no Antigo Testamento, que vem à Terra para resgatar o homem da condenação eterna. A Era Messiânica seria um futuro de paz universal e amor fraternal, em que crime, guerra e pobreza passam a inexistir. Estamos longe disso, infelizmente, mas é fato que Jared Leto tem como missão propagar tais ideais, seja em músicas ou no próprio discurso, e cada vez mais. Preste atenção nas letras das recentes “Walk on Water”, “Rescue Me” e em entrevistas. “Meu objetivo é que todo mundo fique feliz”, afirmou ao “Fantástico".

Jared Leto se apresenta com o Thirty Seconds to Mars no palco Mundo do Rock in Rio neste domingo (24/09/17) - Eduardo Anizelli/Folhapress - Eduardo Anizelli/Folhapress
Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Aparência

Há anos Jared Leto mantém um visual de barba e cabelos compridos, com uma aparência quase sempre magra —a não ser quando precisa ganhar peso para um papel, como fez em “Capítulo 27”, encarnando o assassino de John Lennon. Usando roupas largas, multicoloridas e multiculturais, que mais parecem mantos e/ou túnicas, Leto não renega o visual “profeta”. Como se não bastasse, é nítida sua semelhança física com a imagem que conhecemos de Jesus Cristo. 

Jared Leto em show do Thirty Seconds to Mars - GV Cruz/Getty Images - GV Cruz/Getty Images
Imagem: GV Cruz/Getty Images

Presença de palco

Jared Leto tem o dom da ubiquidade nas apresentações Thirty Seconds to Mars. Ele é onipresente, frenético, intenso, seja puxando coros ou provendo sessões de “aeróbica”. Vai "para a galera" e usa praticamente toda a estrutura de palco. Não é raro vê-lo de braços abertos, como um regente redentor de seu público. Os fãs acompanham tudo em êxtase, cantando alto do início ao fim. Ao menos para a plateia, Leto é uma "divindade” que brilha e ofusca os outros músicos. Um libertador das "good vibes".

Jared Leto, do Thirty Seconds to Mars - Reprodução/Facebook/thirtysecondstomars/ - Reprodução/Facebook/thirtysecondstomars/
Imagem: Reprodução/Facebook/thirtysecondstomars/

"Imortal"

Parece difícil acreditar, mas o líder do Thirty Seconds to Mars completará em 26 de dezembro, um dia depois do Natal — coincidência?—, 47 anos. Também ficamos impressionados com essa informação. Ao que parece, ele integra o clube de personalidades "imunes" ao tempo, o mesmo de Keanu Reeves e Julianne Moore. Convenhamos: se Leto não é nenhum Messias, ao menos parece ter encontrado o elixir da juventude.

Jared Leto em cena de "Clube de Compras Dallas" (2013) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

É um baita ator

Você não concorda com nada publicado neste artigo até aqui, acha o Thirty Seconds uma porcaria e Jared Leto uma figura pra lá de superestimada? Tudo bem. Dá para ficar apenas com as edificantes atuações do cara no cinema. Três longas obrigatórios: “Clube de Compras Dallas”, que rendeu a ele um Oscar de coadjuvante, “Réquiem para um Sonho”, o impressionante drama psicológico de Darren Aronofsky, e “Mr. Nobody”, ficção científica que conta a história de um homem de 118 anos que é o último mortal na Terra. Bônus track: o ótimo “Blade Runner 2049”, em que vive o vilão da trama.