PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Ativista envenenado do Pussy Riot que invadiu final da Copa sai do hospital

Pyotr Verzilov, do Pussy Riot, invadiu a final da Copa do Mundo - Odd Andersen/AFP
Pyotr Verzilov, do Pussy Riot, invadiu a final da Copa do Mundo Imagem: Odd Andersen/AFP

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

26/09/2018 16h15

Ativista do grupo russo Pussy Riot, Pyotr Verzilov foi liberado do hospital alemão onde estava internado desde o seu envenenamento, no último dia 12 de setembro. A informação é do "Pitchfork".

"Pyotr está se sentindo ótimo, e já o tiraram do hospital", escreveu o Pussy Riot na conta oficial do Twitter, junto com uma foto do ativista seis dias antes da liberação.

Os médicos alemães confirmaram, com a chegada de Verzilov no hospital, as suspeitas dos membros do grupo: ele foi mesmo envenenado, com uma substância que o fez perder a visão, a fala, a capacidade motora e a memória.

Pyotr foi um dos integrantes do grupo que invadiu o gramado na final da Copa do Mundo da Rússia. Pussy Riot é um coletivo feminista punk criado em 2011 com a proposta de unir arte e política - o grupo ficou conhecido pelos protestos contra o governo de Vladimir Putin.

O caso do envenenamento de Verzilov foi relatado no mesmo dia em que o Reino Unido acusou a Rússia de ter envenenado um ex-espião e sua filha. O presidente Putin negou que tenha sido um ataque do governo e disse que as vítimas são civis. 

Entretenimento