PUBLICIDADE
Topo

Jane Fonda diz que se culpava por suicídio da mãe, quando tinha 12 anos

A atriz Jane Fonda - Emma McIntyre/Getty Images
A atriz Jane Fonda Imagem: Emma McIntyre/Getty Images

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

19/09/2018 09h25

Em entrevista para a "People", a estrela Jane Fonda se abriu sobre um dos eventos mais traumáticos de sua vida: o suicídio de sua mãe, que sofria de transtorno bipolar, quando ela tinha apenas 12 anos de idade.

"Se você tem um pai ou uma mãe que não são capazes de estarem presentes, que não são capazes de te refletir pelos olhos do amor, isso tem um impacto enorme na forma como você vê a si mesmo", declara Fonda.

"Quando você é criança e algo assim acontece, você culpa a si mesmo. Você não pode culpar o adulto, porque para você ele é uma figura de autoridade, ele está cuidando de você. É difícil superar essa culpa", continua.

A mãe da estrela de "Grace and Frankie", uma socialite canadense chamada Frances Ford Seymour, se casou com o ator Henry Fonda e teve dois filhos: Jane e o também ator Peter Fonda. Ela estava internada em um sanatório quando cometeu suicídio, no ano de 1950.

A atriz diz na entrevista que seu pai não foi sincero com ela e seu irmão sobre a causa da morte da mãe. "Ele nos disse que havia sido um ataque cardíaco", comenta. Os dois descobriram o que havia ocorrido de fato ao lerem sobre o acontecido em um artigo de revista.

"Quando eu escrevi minha biografia [em 2005, lançada sob o título 'Minha Vida Até Agora'], dediquei uma parte do livro à minha mãe, porque sabia que, se precisasse escrever sobre ela, seria obrigada a tentar entendê-la", diz Fonda. "Eu nunca a conheci de verdade".

"Fazer pesquisa sobre minha mãe e sua doença foi uma forma de entender que não foi minha culpa", completa. "Eu pude afirmar isso para mim mesma, e também sentir enorme compaixão por ela. Perdoá-la, de certa forma".