Topo

Música


Slash admite que músicas antigas do Guns N' Roses são "meio machistas"

Axl Rose e Slash, os pilares do Guns N
Axl Rose e Slash, os pilares do Guns N'Roses, lado a lado no Rock in Rio Imagem: Bruna Prado/UOL

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

11/09/2018 13h22

O guitarrista do Guns N' Roses, Slash, admitiu em uma nova entrevista que algumas canções clássicas da banda são "meio machistas". O músico foi perguntado pelo "Yahoo!" se o catálogo do Guns N' Roses merecia reavaliação após o surgimento do #MeToo e das denúncias de assédio no mundo do entretenimento.

"Eu nunca pensei nisso", admitiu Slash. "Eu acho que, quando o movimento #MeToo explodiu, muitos músicos começaram a repensar suas relações com fãs e esse tipo de coisa. Não estou falando de alguém em particular, apenas músicos que poderiam ser implicados".

"O Guns N' Roses, em especial, nunca teve essa relação predatória com as garotas que iam ao show. Se houve algum momento que passou dos limites, foi por parte delas", relatou ainda. "Dito isso, admito que algumas das nossas canções são meio machistas de suas próprias maneiras".

"No entanto, eu não acho que nossas músicas se levam muito a sério", continuou. "Não são maliciosas nesse sentido".

No mês passado, Slash já havia opinado sobre o movimento #MeToo no mundo da música, dizendo que apoiava as mulheres que haviam feito denúncias, mas se preocupava com o potencial para acusações falsas.

"O problema é que, mesmo que a acusação seja provada como falsa, o estrago já está feito. Isso é muito triste. Não há como se defender", comentou o guitarrista.