PUBLICIDADE
Topo

Cena de "O Predador" com amigo do diretor condenado por pedofilia é cortada

O diretor Shane Black - Getty Images
O diretor Shane Black Imagem: Getty Images

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

06/09/2018 10h25

A Fox decidiu fazer cortes em "O Predador" após descobrir que o diretor, Shane Black, havia escalado um amigo condenado por pedofilia em 2010 para aparecer em uma cena. A informação é do "Los Angeles Times".

O ator Steven Wilder Striegel, de 47 anos, aparecia em uma rápida cena na qual dialogava com Olivia Munn ("X-Men: Apocalipse"). A atriz descobriu mais tarde que Striegel foi condenado em 2010 por tentar atrair pela internet uma garota de 14 anos para um relacionamento sexual.

Quando Munn notificou o estúdio de sua descoberta, a Fox decidiu cortar a cena. "Nós não estávamos cientes do passado de Striegel durante as filmagens ou o processo de escalação. Existem barreiras legais que nos impedem de pesquisar sobre o passado dos atores", explicaram representantes da Fox em comunicado oficial.

O diretor Shane Black, no entanto, sabia da condenação do amigo. Os dois se conhecem desde 2004, quando foram apresentados por amigos em comum. "Eu, pessoalmente, decidi ajudar um amigo", disse o cineasta. "Eu entendo que outras pessoas possam desaprovar. A condenação dele foi por uma acusação séria, que não deve ser desconsiderada".

Striegel passou seis meses na cadeia em 2010. O primeiro papel que conseguiu ao sair da prisão foi em "Homem de Ferro 3", também dirigido por Black. Mais tarde, apareceria em outro dos projetos do amigo: "Dois Caras Legais", comédia de ação lançada em 2016.

O diretor diz acreditar que Striegel foi "pego em uma situação complicada, e não tinha uma intenção maligna de fazer o que fez". "O Predador" estreia em 13 de setembro nos cinemas brasileiros.

Detalhes do caso

Steven Wilder Striegel se defendeu em e-mails para o "Los Angeles Times", dizendo que Black o escalou por acreditar que "ele não seria um perigo para as pessoas no set". Striegel ainda caracteriza o caso pelo qual foi preso como um "erro de julgamento", revelando que a garota de 14 anos em questão era uma parente sua que havia confiado nele para contar segredos íntimos.

"Eu cometi o erro de dizê-la, a fim de melhorar sua auto-estima, que ela era bonita e sexy", descreve Striegel. Ele ainda diz que deixou claro que os dois não poderiam ter um relacionamento amoroso ou sexual devido a idade dela, e ao fato de serem parentes.

No entanto, o "Times" conseguiu acesso a vários documentos da época da prisão de Striegel, que descrevem como o ator teve contato sexual com a garota, e a enviou e-mails detalhando graficamente suas preferências. "Tudo o que você faz me excita!", escreveu o ator em uma das trocas de mensagens.

Não há lei no estado da Califórnia que proíba a contratação de um ex-presidiário por crimes sexuais, tampouco lei que exija a notificação dos outros funcionários. O sindicato de atores de Hollywood diz apenas que é "responsabilidade dos produtores manter um ambiente de trabalho seguro para todos no set".