PUBLICIDADE
Topo

Kanye West fala de apoio a Trump e rixa com Drake: "Vamos fazer as pazes"

O rapper Kanye West - Chris Pizzello/Invision/AP
O rapper Kanye West Imagem: Chris Pizzello/Invision/AP

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

29/08/2018 15h17

Kanye West apareceu na rádio "WGCI", em Chicago, na manhã desta quarta-feira (29). Em uma longa entrevista, voltou a falar do seu apoio ao presidente Donald Trump, esclareceu comentários anteriores sobre a escravidão e abordou até a rixa com o colega de rap, Drake.

West falou de uma aparição anterior no programa de TV "Jimmy Kimmel Live!" em que ficou em silêncio ao ser perguntado sobre as posições de Trump em relação à comunidade negra dos EUA. "Eu acho que Trump se importa com o que as pessoas negras pensam sobre ele, e ele gostaria que nós gostássemos dele, como gostávamos quando ele aparecia nas letras dos raps", comentou na nova entrevista.

"Por isso, acho que ele vai fazer algumas coisas que são necessárias para que isso aconteça. Ele tem um ego, como todos nós, e quer ser o maior presidente da história dos EUA. Ele sabe que não poderá fazer isso sem a aceitação da comunidade negra. É algo que no que ele vai trabalhar, mas teremos que conversar com ele", continuou.

O rapper também falou da polêmica entrevista ao "TMZ" onde disse que a escravidão, por ter se estendido por mais de 400 anos, foi "uma escolha". "Eu nunca abordei isso de verdade, e eu sei que machucou as pessoas. Eu poderia apresentar minha opinião de forma mais calma, mas não foi isso que aconteceu. Eu peço desculpas. Isso acontece de vez em quando - eu não estou culpando tudo na minha saúde mental, mas ela explica parte disso", contou.

West revelou seu diagnóstico de transtorno bipolar na letra de "Yikes", faixa do seu último disco solo, "ye", lançado em junho. Em 2016, o rapper foi internado devido a "psicose temporária", causada por desidratação e privação de sono.

Por fim, West abordou a rixa entre os rappers Drake e Pusha T, e seu papel nela - ele produziu o disco de Pusha que contem a faixa "The Story of Adidon", trazendo em sua letra várias ofensas e referências a Drake.

"Essa história me atinge em um nível muito sensitivo", comentou. "Eu estou sempre cercado dessas pessoas, e elas vem até minha casa e ficam comigo e com minha família, mas daí ficam bravas por conta de uma batida e me mandam uma mensagem com emojis irritados. Para mim, isso não é uma rixa. Todos nós amamos Drake".

"É claro que a gente entende que ele ficou bravo por conta da faixa. Eu acho que foi um pouco insensível da parte dele trazer qualquer stress para o meu lado enquanto eu me recuperava em Wyoming, gravando o meu novo álbum. Nós vamos fazer as pazes, porque temos que fazer. Temos que trabalhar juntos, nossas vozes são poderosas", concluiu.