Topo

Filmes e séries

Sofia Coppola explica sussurro na cena final de "Encontros e Desencontros"

Reprodução
Bill Murray e Scarlett Johansson em cena de "Encontros e Desencontros" Imagem: Reprodução

Osmar Portilho

Colaboração para o UOL

28/08/2018 04h00

Sofia Coppola já era relativamente conhecida em Hollywood depois de "As Virgens Suicidas", lançado em 2000, mas ainda não fazia ideia de que seu próximo filme ganharia uma projeção internacional e marcaria para sempre sua carreira. Às vésperas de completar 15 anos de seu lançamento, "Encontros e Desencontros" (2003) tem um sentimento especial para os fãs de cinema ao narrar uma história de amor em Tóquio protagonizada por Bill Murray e Scarlett Johansson.

Em entrevista ao site Little White Lies, Coppola falou sobre as lembranças das gravações, principalmente a ansiedade que antecedeu os meses antes de Bill Murray confirmar que embarcaria no projeto e uma cena que se destacou no filme.

Regis Duvignau/Reuters
"Encontros e Desencontros" foi o segundo filme de Sofia Coppola Imagem: Regis Duvignau/Reuters

"Eu estava em uma caçada"

Quando escreveu a história de Bob Harris, Sofia só tinha Bill Murray na cabeça. "Foi um colapso nervoso. Nós fomos para Tóquio e começamos a gastar dinheiro na esperança de que ele aparecesse. Não sei nem como conseguimos um financiamento sem ter um contrato. Eu estava determinada e passei um ano atrás dele. As pessoas queriam me dar outras opções, mas eu não faria o filme sem ele", explicou. 

No fim das contas, um roteirista que Sofia conhecia conseguiu entregar o texto para Bill. "E ele agregou muito. Eu estava passando por um momento difícil na minha vida e queria que ele me levasse em uma aventura. Muito disso aparece nos improvisos de Bill. Aquela cena no restaurante de sushi falando sobre o dedo preto? Tudo improviso dele sobre a situação".

Afinal, o que ele diz no sussurro?

Depois de 15 anos e de todo o sucesso de "Encontros e Desencontros", Sofia Coppola ainda se diz surpresa com a repercussão do filme. "Eu nunca imaginei que as pessoas se conectariam tanto. Fiquei surpresa porque é um filme tão autoindulgente, um projeto tão pessoal. Acho engraçado quando alguém diz que se identificou com algo na época".

Uma das cenas mais emblemáticas do filme acontece na sequência final, quando Bob se despede de Charlotte, lhe dá um abraço e sussurra no ouvido dela algumas palavras inaudíveis para o espectador.

Como deixar uma parte tão vital nesta história de amor sem uma conclusão explícita? Sofia explica.

"Por sorte, eu pude fazer isso sem um estúdio por trás e deixar da maneira que queria. Aquele sussurro do Bill no ouvido da Scarlett nunca teve a intenção de ser alguma coisa. Eu tinha deixado para pensar mais tarde se acrescentaria alguma coisa e nunca o fiz. Era algo entre eles", afirmou.

"Eles [os personagens] apenas se dão conta de que aquela semana significou algo para os dois e que aquilo irá afetá-los quando voltarem para suas vidas normais. Sempre me perguntam o que eles disseram", continuou a diretora.

"Eu gosto muito da reposta do Bill: 'É algo entre apaixonados --e eu deixarei a resposta aí'", finalizou.