Topo

Música

Katy Perry nega que tenha sido estuprada pelo produtor Dr. Luke

Mariana Pekin/UOL
Katy Perry se apresenta no estádio Allianz Parque, em São Paulo, na turnê "Witness: The Tour" Imagem: Mariana Pekin/UOL

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

27/08/2018 21h24

Katy Perry negou que tenha sido estuprada por Lukasz Gottwal, mais conhecido como Dr. Luke. A declaração foi dada em julho de 2017, durante processo movido pelo produtor contra a cantora Kesha, que o acusara de estupro em 2014.

O "US Weekly" obteve os documentos sobre o caso. Perry afirmou que "com toda a certeza" nunca sofreu nenhum abuso por parte do produtor e negou que já tenha falado a alguém que foi estuprada por ele.

As alegações de que Dr. Luke tinha estuprado a dona do hit "Swish Swish" ganharam força em junho, quando o "The Blast" obteve informações de que Kesha mandou mensagem para Lady Gaga indicando que o produtor também tinha estuprado Katy Perry.

No texto, a defesa do produtor diz que as acusações de Kesha são falsas e que a cantora, em conversa com Lady Gaga, ainda a encorajou a espalhar notícias negativas sobre ele na imprensa e nas redes sociais.

Frederick M. Brown/Getty Images
O músico e produtor Dr. Luke trabalhou com vários nomes do pop Imagem: Frederick M. Brown/Getty Images

A revista "People" publicou a troca de acusações entre os advogados de Kesha e Luke.

"Katy Perry testemunhou sob juramento neste caso que Dr. Luke nunca a estuprou. Ainda assim, Kesha se recusa a pedir desculpas. Em vez disso, Kesha divulgou um comunicado à imprensa em que, novamente e de forma irresponsável, sugere que Katy Perry foi de fato estuprada. Parece que Kesha quer perpetuar a falsa acusação de que Dr. Luke estuprou Katy Perry", adiciona a nota.

Kesha retrucou, via advogados: "Kesha nunca disse ter conhecimento sobre um possível abuso contra Katy Perry (algo que a senhorita Perry negou mais tarde). Para ser claro, Dr. Luke está processando Kesha baseado em uma mensagem privada de Kesha mandada para Lady Gaga em 2016, pouco depois do CEO da Interscope, John Janick, dizer a Kesha e Lady Gaga de que ele havia ouvido um rumor sobre Dr. Luke ter abusado de Katy Perry. A declaração de Janick foi discutida privadamente entre amigos e nunca viria a público se Dr. Luke não tivesse decidido publicar isso para milhões de pessoas quando reclamou contra Kesha em 2017."

Lady Gaga confirmou em seu depoimento que ouviu de Janick este rumor. "Ele disse que ouviu um rumor. Não me lembro exatamente o que ele disse. Eu só lembro que ele trouxe esse assunto. Ele disse algo como ter ouvido que Dr. Luke estuprou Katy Perry também", afirmou a cantora pop.

Outra cantora ouvida no caso foi Kelly Clarkson. Ela testemunhou dizendo que o produtor pode ter uma postura de "bully" e de humilhar os outros. "Não conheço ninguém que gosta dele. Eu não gosto dele como pessoa".

Com o objetivo de colocar sua carreira de volta aos trilhos, Kesha resolveu retirar em agosto de 2016 as acusações contra o produtor. Em 2014, a cantora alegou ter sido abusada sexualmente, fisicamente e emocionalmente por ele.

Com Kesha, Dr. Luke atuou como produtor em "Animal" (2010), Cannibal (2010) e "Warrior" (2012). Já na discografia de Katy Perry, ele produziu "One of the Boys" (2008) e assina como um dos compositores de "I Kissed a Girl" e "Hot n Cold".

Além de negar as acusações, Dr. Luke diz ter um prejuízo de US$ 10 milhões em danos desde que as acusações de Kesha se tornaram públicas. Ele afirma que chegaria a tal cifra caso tivesse trabalhado nos discos de Katy Perry além dos danos por sua reputação no meio musical.