PUBLICIDADE
Topo

Hodari: do fenômeno "Teu Popô" no Poesia Acústica 5 à parceria com Edi Rock

Matias Maxx

Colaboração para o UOL, do Rio

24/08/2018 04h00

O canceriano Hodari, de 27 anos, desponta na cena musical brasileira como uma promessa de renovação, trazendo um R'n'B de responsa com a estética e linguagem de sua geração. Há cerca de um mês, seu single de estreia "Teu Popô" ganhou uma versão remix dentro da série "Poesia Acústica", com participações dos rappers Ducon, Chris, Kayuá, Don L, Luccas Carlos e Maria.

Depois de estar ao lado de grandes expoentes de sua geração, como o veterano Don L, que já foi a trilha sonora de várias de suas sessões de tatuagem, Hodari foi convidado a gravar as guitarras numa track do próximo álbum de Edi Rock, do Racionais.

"Gravar uma guitarra pro Edi Rock foi algo muito especial, cresci ouvindo Racionais. Fez parte da minha vida e da dos meus amigos dos guetos de Brasília. É muito motivacional, pro povo negro brasileiro e pra mim."

Hodari

"O poder da música de nos levar e nos botar em vários lugares é algo muito mágico e, cada vez mais, estou descobrindo. Ainda estou muito no começo da carreira e fiquei muito lisonjeado, até agora não entendi. A música ainda não tem nome, mas as guitarras foram gravadas e espero que tenha um rumo muito legal."

A arte sempre esteve presente na família de Hodari, seus avós se mudaram para Brasília em 1958 para como educadora e urbanista literalmente construírem a cidade, Lydia Garcia a primeira professora de música da cidade, e Willy Mello integrante da equipe de Oscar Niemeyer. Militante dos direitos dos negros, o casal batizou os filhos com nomes africanos, tradição passada para seus netos e bisnetos.

Edi Rock e Hodari - Aori Sauthon/Divulgação - Aori Sauthon/Divulgação
Edi Rock e Hodari
Imagem: Aori Sauthon/Divulgação

"Eles tiveram essa ideia justamente para resgatar nossa africanidade, nossas raízes. Uma das nossas maiores identidades é nosso nome, é nosso cartão de visitas. Hodari é meu nome mesmo, não é artístico. Desde criança, todas as atividades na família sempre foram regidas pela musicalidade e pelo fortalecimento da estética negra, da nossa beleza e do nosso valor como afro-brasileiro."

"É algo que sempre me ajudou para chegar aqui com essa firmeza e entendimento do que sou como pessoa e como negro no Brasil", avalia. Ainda adolescente, ele integrou o grupo de emocore Skarto e se apaixonou pelas tatuagens da galera da cena. "Foi amor à primeira vista, mais tarde conheci um grafiteiro chamado Davi Brás e a gente matava aula pra ficar desenhando. Depois, ele conseguiu entrar como aprendiz num estúdio de tatuagem e acabou me puxando também."

A tatuagem acabou virando a profissão de Hodari, que também atacou de modelo fotográfico, mas a música nunca deixou de estar presente em sua vida. "Tava começando a escrever muito, fazer muitas melodias, muitas músicas. Sempre que eu ia na casa de amigos, tocava e a galera perguntava que música era aquela, se tinha gravada pra escutar mais."

Numa dessas sessões o fotógrafo Fernando Rodrigues, cliente de Hodari, fez a ponte com o produtor Joseph Ferreira e nasceu "Teu Popô" que ganhou também um Lyric-video em estética 8-bit. "É uma música que fala de término de relacionamento, mas é um convite para uma volta, sem ser um cara invasivo, respeitando o espaço da outra pessoa."

"Teu Popô" tem 1,7 milhão de views no YouTube e o "Poesia Acústica 5", 11 milhões. "Fiquei muito feliz [ao superar 1 milhão de views], mas isso veio com muita responsabilidade, pensei muito no futuro do trabalho, como abastecer isso, dar continuidade. Então foi meio um tapa na cara para levar a música mais a sério, trabalhar em busca de algo cada vez maior."

Além do seu segundo single, "Netflix", já nas plataformas, Hodari tem mais de vinte músicas escritas e promete lançar mais duas até o final do ano. "Estamos decidindo ainda, tudo sem pressa, queremos projetar algo muito legal e, quando vier, vir com consciência, não só lançar músicas por lançar."

FOTO DE GATINHA PRETA NA PRAIA Pegando aquele Bronze ♥️ PELE PRETA // AMO MINHA COR

Uma publicação compartilhada por (@iradoh) em