Topo

Filmes e séries

"Harlots": Liv Tyler comenta desafios de estrear em série sobre prostitutas

Ollie Upton/Divulgação
Lady Isabella Fitzwilliam (Liv Tyler) e Charlotte Wells (Jessica Brown Findlay) em cena da segunda temporada de "Harlots" Imagem: Ollie Upton/Divulgação

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

24/08/2018 04h00

A chegada de Liv Tyler é uma das grandes novidades da segunda temporada da série "Harlots", que estreia no Brasil nesta sexta-feira (24) no Fox Premium. Mesmo entrando mais tarde na trama, seu papel tem importância central no desfecho de um dos principais acontecimentos da segunda parte do drama de época que se passa na Inglaterra do século 18.

Repleta de cenas de sexo, "Harlots" retrata uma guerra entre bordéis e suas cafetinas. Isabella Fitzwilliam, a personagem de Liv Tyler, parece distante deste submundo já que é uma herdeira da alta sociedade que vive com um irmão controlador. Mas Lady Fitz acaba se aproximando do universo da luxúria quando é chantageada pela cafetina do principal bordel da cidade a pagar uma gorda fiança e tirá-la da prisão. Ou o seu maior segredo será revelado.

"A minha personagem é muito solitária, já que ela tem vivido em um mundo muito isolado. Mas quando ela tem contato com as prostitutas, ela acaba se interessando pelo senso de liberdade delas. Mesmo que elas não tenham dinheiro e muito menos todas as coisas que ela tem", conta a atriz, adiantando o rumo de Lady Fitz, que surge já no primeiro episódio da segunda temporada.

Entre as companheiras de elenco de Liv Tyler estão Samantha Morton, que interpreta Margareth Wells, uma cafetina que oferece suas próprias filhas em troca de dinheiro. Lesley Manville é Lydia Quigley, a outra cafetina e dona de um bordel de luxo. É ela a mulher que a chantageia.

Na história, a mais próxima de Liv Tyler, porém, é Jessica Brown Findlay, a Charlotte Wells. Filha de Margareth, ela trabalha para Lydia e acaba formando uma aliança com Lady Fitz ao levar o recado de sua patroa para a dama da alta sociedade.

"Ela (Lady Fitz) é como um passarinho em uma gaiola por vários motivos. Ela está presa em seu papel na sociedade e em seu status. Ela não pode ser ela mesma. É a partir de sua relação com a Charlotte que ela tem a chance de se libertar de uma forma que ela nunca teria permissão para", explica a atriz sobre a relação de amizade entre as duas personagens.

Mulheres por todas as partes

Divulgação
Presa, a cafetina Lydia Quigley (Lesley Manville) chantageia Lady Fitz (Liv Tyler) para pagar sua gorda fiança Imagem: Divulgação

Escrita, produzida e dirigida por mulheres, "Harlots" também tem um elenco predominantemente feminino. Algo com que Liv Tyler não estava acostumada. "Na minha carreira, muitas vezes eu fui uma das únicas mulheres, como em 'O Senhor dos Anéis' e 'Armageddon'", relembra sobre dois grandes papéis dela no cinema. 

"É ótimo fazer um personagem escrito por uma mulher, com certeza. Acredito que poderia seguir em uma direção totalmente diferente se fosse escrito por um homem. E é bom estar dentro da cabeça feminina, especialmente, penso eu, nos personagens que são prostitutas. Eu gosto de como é de verdade."

Com temática de época, trilha sonora animada e uma pegada moderninha no material de divulgação, a série já foi comparada lá fora com a "Maria Antonieta" de Sofia Coppola, filme que levou o Oscar de melhor figurino em 2007.

Já exibida fora do Brasil, a segunda temporada chega completa e a primeira temporada também está disponível na íntegra no Fox App. No canal Fox Premium, os episódios serão exibidos um a um toda sexta às 22h.

Nova fase

Sven Arnstein/Hulu
Liv Tyler é Lady Isabella Fitzwilliam em "Harlots" Imagem: Sven Arnstein/Hulu

A vida na Inglaterra influenciou Liv Tyler a aceitar o trabalho em "Harlots". Assim, ela poderia ao mesmo tempo atuar e se manter perto de seus dois filhos. A atriz mudou de país para acompanhar o marido, o agente esportivo britânico Dave Gardner. Eles são pais de um menino e de uma menina: Sailor Gene, de 3 anos, e Lula Rose, de 2.

"É muito bom quando você tem filhos pequenos e pode continuar trabalhando, porque se você se isolar, fica mais difícil de voltar. Após o nascimento do meu primeiro filho, eu realmente não trabalhei por um ano porque eu queria apenas ficar com ele. Mas desta vez eu pensei: 'Não, eu vou fazer tudo! Eu vou ser mãe e vou trabalhar: e com uma peruca e com um sotaque inglês!'", diz rindo.

Nascida em Nova York, Liv já havia treinado seu sotaque britânico em vários trabalhos, mas admite que ainda sente uma barreira. "A parte mais difícil é o som das vogais. É quase como um dublê aprendendo uma luta de espadas ou algo assim. Mas também é uma memória muscular. Obviamente, tenho que trabalhar detalhadamente cada fala e cada som, mas uso a base que tenho desde a minha juventude. De qualquer forma, isso é sempre desafiador", comenta a atriz americana, que já tinha usado sotaque britânico nos filmes "Os Saqueadores" e "Paixão Proibida", de 1999, e "O Senhor dos Anéis" (2001).

Trabalhar na Inglaterra também trouxe surpresas agradáveis para a atriz que estava mais acostumada com Hollywood. "É diferente trabalhar na Inglaterra em comparação com os Estados Unidos. A Lesley Manville, por exemplo [intérprete de Lydia Quigley] foi recentemente indicada ao Oscar por 'Trama Fantasma'. Ela também está em cartaz no teatro em uma peça com o Jeremy Irons. E ela vem trabalhar de manhã como todo mundo. Ela trabalha o dia todo e depois vai ao teatro e faz o que tem que fazer. É algo legal que acontece com os atores daqui. Eles simplesmente fazem o que tem de fazer. Não existe aquele estrelismo de Hollywood. E eu amo isso!"

Liv ainda recorda uma situação de bastidores de "Harlots" que a surpreendeu, principalmente por sua personagem não ser uma das prostitutas - que são a maioria do elenco. "Eu estava quieta, na minha, no primeiro dia no set. Então fui para o meu trailer fazer cabelo e maquiagem. De repente, todas as garotas apareceram e ficaram tipo 'raaagh!', brincando comigo. Foi hilário! Eu geralmente sou bastante tímida, mas elas foram umas fofas."

Família em primeiro lugar

Jason Merritt/Getty Images
Liv Tyler e seu pai biológico, Steven Tyler Imagem: Jason Merritt/Getty Images

Dimitrios Kambouris/Getty Images
Liv Tyler e sua mãe, a modelo e cantora Bebe Buell Imagem: Dimitrios Kambouris/Getty Images

A timidez revelada por Liv Tyler reflete mais na vida pessoal dela. "É estranho porque como intérprete eu não sou tímida, mas como pessoa eu sou sim um pouco tímida. Acho que ter pais que sempre estiveram no centro das atenções fez com que eu sempre observasse as coisas de uma forma diferente", conta a atriz de 41 anos.

Para quem (ainda) não sabe, Liv Tyler é filha da modelo e cantora Bebe Buell com o roqueiro Steven Tyler. Ela vive no meio do entretenimento desde que se entende por gente, e só descobriu que era filha do líder do Aerosmith quando tinha 11 anos de idade. Por isso, ela também considera Todd Rundgren, namorado da mãe na época, como seu pai.

"Eu tento encontrar o equilíbrio dentro de mim. De não ser muito tímida para dar às caras e encontrar as coisas que eu realmente amo. Eu sempre quis ser mãe e ter uma família, por exemplo. Porque minha vida sempre foi tão excêntrica. Eu tinha uma família muito bacana, mas as coisas eram bem bagunçadas. Eu morei com minha mãe por um tempo, depois com a minha tia, aí com a minha avó. E eu tive dois pais, cara!".

Um retorno ao seu berço, no entanto, não está descartado. Pelo contrário. "Gostaria de fazer um filme com o meu próprio sotaque agora. Já que eu tenho usado um espartilho e falando com um sotaque inglês durante todo esse ano, rs. Foi muito divertido, mas estou ansiosa para encontrar um próximo trabalho onde eu possa ter minha própria voz por um tempo."