Topo

Rock

Steven Tyler exige que Trump pare de tocar Aerosmith em eventos de campanha

Bruna Prado/UOL
Imagem: Bruna Prado/UOL

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

22/08/2018 11h02

Steven Tyler, vocalista do Aerosmith, enviou uma carta para a Casa Branca, através de seus advogados, exigindo que o presidente Donald Trump pare imediatamente de usar canções da banda em eventos de campanha. A informação é da "Variety".

"Livin' on the Edge", hit de 1993 do Aerosmith, foi parte de playlist que tocou para os votantes de Trump em um evento recente no estado de Virgínia Ocidental, nos EUA. O repórter Jim Acosta, da "CNN", capturou o momento no Twitter.

A carta enviada pelos advogados de Tyler acusa o presidente de "infração intencional de direitos autorais", citando uma lei norte-americana conhecida como Lanham Act, que previne que haja "representação falsa da conexão, afiliação ou associação entre duas pessoas públicas". Segundo os advogados de Tyler, tocar uma canção do Aerosmith nos eventos de campanha pode levar as pessoas a crer que o vocalista apoia Trump.

Não é a primeira vez que o presidente é acusado por Tyler e pelo Aerosmith de usar suas canções de forma inadequada. Em 2015, a banda reclamou do uso de "Dream On", outro de seus hits, durante a campanha de Trump para a presidência - após uma carta similar enviada por Tyler e seus advogados, a canção não foi mais tocada nos eventos.

A diferença entre "Dream On" e "Livin' on the Edge" está nas empresas que administram os direitos autorais. Enquanto a primeira é gerenciada pela BMI, que já proibiu Trump de fazer uso da canção, os direitos da segunda estão com a ASCAP.

Errata: o texto foi atualizado
23/08/2018 às 06h51
Diferentemente do informado inicialmente na legenda da foto, Steven Tyler já tem 70 anos - e não está prestes a completar esta idade. O conteúdo foi corrigido.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais Rock