Topo

Geek

Atriz de "Star Wars" diz como ataques racistas a afetaram: "Passei a acreditar"

Lucasfilm/Divulgação
Rose (Kelly Marie Tran) e Finn (John Boyega) em cena de "Star Wars: Os Últimos Jedi" Imagem: Lucasfilm/Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

21/08/2018 10h49

Kelly Marie Tran, estrela de "Star Wars: Os Últimos Jedi", assinou um ensaio na edição desta terça-feira (21) do "The New York Times" onde relata o efeito "odioso" dos ataques racistas que recebeu de fãs da saga on-line.

Tran, a primeira mulher de descendência asiática a ter um papel na saga, deixou as redes sociais após receber diversos insultos racistas. "O problema não foram as palavras deles, mas o fato de que eu passei a acreditar nelas e entrei em uma espiral de ódio por mim mesma", comenta.

"As palavras pareciam confirmar o que minha vivência como uma mulher e uma pessoa não branca me ensinou: que eu deveria permanecer nas margens, nos espaços, e que eu era válida apenas como uma personagem coadjuvante nas suas vidas e histórias", diz ainda. "Essa experiência reforçou uma narrativa que ouvi minha vida toda: de que eu era 'a outra', que eu não pertencia aqui, que não era boa o bastante, simplesmente porque não era como todo mundo".

"Todos esses sentimentos, eu percebo agora, podem ser resumidos em um só: vergonha. Vergonha daquilo que me faz diferente, vergonha da cultura da qual eu venho", escreve a atriz. Tran nasceu nos Estados Unidos, mas seus pais são refugiados vietnamitas.

"Por mais que eu odeie admitir isso, quando comecei a receber essas mensagens odiosas, me culpei. Pensei: 'Bom, talvez se eu fosse mais magra, ou deixasse crescer o meu cabelo'. Pior de tudo, cheguei a pensar: 'Bom, talvez se eu não fosse asiática'", continua. "Eu passei por uma espécie de lavagem cerebral em que achava que minha existência era limitada pelas fronteiras da aprovação de outra pessoa".

Tran, no final do seu ensaio, promete tentar quebrar esse padrão com os futuros papéis que escolher. "Quero viver em um mundo onde crianças de outras etnias não precisem crescer desejando ser brancas. Quero viver em um mundo onde mulheres não são objetos de escrutínio por sua aparência, suas ações, sua existência no geral", descreve.

Apesar da insatisfação de alguns fãs, a atriz deve retornar para o papel da mecânica Rose Tico em "Star Wars: Episódio 9", que tem estreia marcada para 19 de dezembro de 2019.