PUBLICIDADE
Topo

Jill Janus, da banda de metal Huntress, morre aos 43 anos; suspeita é de suicídio

Jill Janus, vocalista do Huntress - Reprodução/Facebook
Jill Janus, vocalista do Huntress Imagem: Reprodução/Facebook

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

17/08/2018 09h01

A vocalista da banda de heavy metal Huntress, Jill Janus, morreu aos 43 anos. A informação foi confirmada pela banda na quinta-feira, e os indícios são de que ela tenha se suicidado.

Em nota enviada ao site "Blabbermouth", a banda lamentou: "É com grande pesar que anunciamos que Jill Janus morreu na terça-feira. Ela sofria há um longo tempo com distúrbios mentais e tirou sua vida em Portland (EUA). Janus falava publicamente dos desafios por que passava e tentava ajudar outros a superarem seus problemas mentais."

Com o Huntress, banda de heavy metal tradicional, ela gravou um debute muito elogiado, "Spell the Eater" (2012), que tinha grande destaque para seus vocais poderosos. A banda ainda lançou "Starbound  Beast" e "Static", sendo este último o mais recente, de 2015.

Jill Janus tinha um estilo ousado, das vestimentas às atividades que fazia. Antes da criação do Huntress, em 2009, ela chegou a ser DJ, em apresentações em que ficava seminua - a Playboy chegou a contratá-la para festas.

"Eu vivia em Nova York e precisava de grana. Então, aprendi a discotecar e adicionei uma atração para fazer mais dinheiro. Eu discotecava de topless. Ela se apresentava como DJ Penelope Tuesdae e conseguiu performances grandes, como em uma festa de Ano Novo de Snoop Dogg. "Eu tinha um objetivo e consegui. Queria ter atenção como cantora e compositora, o que acabei conseguindo. Missão cumprida!".

No comunicado da banda, ainda foi dito: "Janus era muito especial e criativa e estava envolvida em inúmeros projetos, como as bandas cover The Starbreakers e Chelsea Girls, além de ser co-compositora de uma nova ópera-rock da Trans-Siberian Orchestra. Sentiremos sua falta, mais do que ela poderia imaginar."

Janus falava abertamente sobre seus problemas com distúrbio bipolar e esquizofrenia e inclusive já havia dito que tentou se matar na adolescência. Ao "Psychology Today", ela disse: "Sempre vi e ouvi coisas que outros não. E algumas visões que tinha se realizavam, o que causou muito drama. Fui chamada de aberração e apanhei muito". Janus também lutou contra um câncer de útero em 2015, quando gravava "Static", mas ficou bem após uma histerectomia.