PUBLICIDADE
Topo

James Gunn ficará fora de "Guardiões da Galáxia 3", confirma Disney

James Gunn, diretor de "Guardiões da Galáxia" - Ian Gavan/Getty Images for Disney
James Gunn, diretor de "Guardiões da Galáxia" Imagem: Ian Gavan/Getty Images for Disney

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

16/08/2018 08h41

Não adiantaram as mensagens em defesa e nem um abaixo-assinado com centenas de milhares de participantes, James Gunn está definitivamente afastado de "Guardiões da Galáxia Vol. 3". O diretor virou alvo de polêmica quando tuítes antigos foram descobertos, com piadas com temas como pedofilia, e acabou sendo retirado do projeto. 

De acordo com a "Variety", houve uma reunião na quarta-feira entre James Gunn e o comandante dos estúdios Disney, Alan Horn. O encontro foi pedido insistentemente pela equipe de Gunn, mas foi aceito por Horn apenas para "esclarecer as coisas". Assim, a decisão foi mantida, com a manutenção do afastamento do diretor de "Guardiões da Galáxia Vol. 3".

Ainda segundo a "Variety", o presidente da Marvel, Kevin Feige, não foi encontrado para comentar a decisão. Durante este mês de embate, ele tentou reintegrar Gunn, mas afirmou que respeitaria integralmente a decisão final da Disney.

Agora, Marvel e Disney voltarão a se reunir em busca de um novo diretor para a sequência dos super-heróis.

Desde que o caso explodiu, Gunn recebeu muito apoio de atores do filme. Chris Pratt, Dave Bautista e Zoe Saldana foram alguns dos que falaram abertamente sobre a revolta com o afastamento do diretor. Uma das alegações é que os tuítes foram revelados por um grupo de extrema-direita e que a decisão contra Gunn só lhes fortalece.