PUBLICIDADE
Topo

Mulheres e negros já são maioria entre diretores de séries da HBO em 2018

Casey Bloys, da HBO - Frederick M. Brown/Getty Images
Casey Bloys, da HBO Imagem: Frederick M. Brown/Getty Images

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

10/08/2018 11h06

A HBO divulgou nesta sexta-feira (10) os resultados de uma iniciativa pela diversificação no time de diretores de suas séries. Segundo a emissora (via "The Hollywood Reporter"), 57% dos diretores de episódios da temporada 2017-18 da HBO são mulheres ou pessoas não-caucasianas (negros, latinos, asiáticos, nativo-americanos, etc).

A parcela mais do que dobrou nos últimos três anos: na temporada 2014-15, apenas 23% dos episódios de séries da HBO não eram dirigidos por homens brancos. A HBO ainda comemora que seis dos seus 11 pilotos apresentados durante este ano foram dirigidos por mulheres.

O presidente de programação do canal, Casey Bloys, disse que o compromisso da HBO é aumentar esse número ainda mais no futuro. Em 2019, o foco também será na equipe de roteiristas, tentando atingir o mesmo patamar de mais de 50% de escritores não-brancos ou do sexo feminino (neste ano, a parcela foi de 43%).

"Não é uma coisa difícil de se fazer. Você só precisa de alguém no topo da administração que está disposto a incentivar essa diversificação. Partindo do topo, todo mundo se envolve no processo", comenta Bloys.

Caminho para a diversidade

O presidente de programação, que assumiu o cargo em dezembro de 2016, reuniu funcionários de todos os departamentos (minisséries, telefilmes, séries cômicas e dramáticas) em uma sala, e passou com eles por uma lista de projetos em que a emissora estava trabalhando para os próximos anos. Esse tipo de reunião, sob a administração de Bloys, acontece duas vezes por ano, e ele diz que o efeito é que equipes de determinado projeto podem sugerir nomes de diretores e roteiristas para outro, causando uma espécie de "polinização cruzada".

Bloys ainda disse, na entrevista, que a influência da iniciativa é mais sentida em títulos novos, como "Insecure", "Barry", "Big Little Lies" e "Westworld" (todos empregando entre 40 e 100% de diretores não-brancos ou do sexo feminino) do que em títulos estabelecidos da emissora, como "Game of Thrones" (que só teve quatro episódios dirigidos por uma mulher, Michelle MacLaren). "Quando eu cheguei, 'Game of Thrones' já era uma máquina bem azeitada. Você não quer se meter no processo de produção de algo que já está em sua sexta temporada, caminhando para o final", justifica.

Uma das maiores produções da HBO nos próximos anos, no entanto, terá o piloto dirigido por uma mulher e contratou um time de roteiristas bem diverso. Trata-se de "Watchmen", piloto baseado no clássico dos quadrinhos - a sala de roteiristas comandada por Damon Lindelof ("Lost") é composta por quatro homens brancos, quatro mulheres (três delas de etnias diversas) e um homem negro.

"Damon sentiu, e eu concordo, que os temas que ele queria abordar precisavam de uma equipe de escritores bem diversa", comenta Bloys. "Era importante ter vozes afro-americanas na mesa. Esse será um elemento importante da série se formos produzir uma temporada completa, e eu com certeza espero que vamos, porque a produção está indo muito bem".