PUBLICIDADE
Topo

Como um diagnóstico de esquizofrenia levou Tom Hardy ao caminho do estrelato

Tom Hardy já recebeu diagnóstico de transtorno mental - Tinseltown/Shutterstock.com
Tom Hardy já recebeu diagnóstico de transtorno mental Imagem: Tinseltown/Shutterstock.com

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

08/08/2018 04h00

Quem vê Tom Hardy agora, com uma nomeação ao Oscar e conquistando diversos papéis importantes no cinema e na televisão, não imagina que o ator já passou por maus bocados quando ainda era um adolescente nos subúrbios de Londres.

Em longa entrevista para a "Esquire", o protagonista de "Venom", grande esperança da Sony Pictures para 2018, lembrou um pouco da sua juventude e dos desafios que enfrentou por não se adequar ao ambiente de classe média alta proporcionado pelos pais -- ele chegou até a ser diagnosticado com transtorno mental.

"Se você observar o meu lado acadêmico, eu era uma porra de um desastre épico", definiu o ator. Seu pai, um executivo de publicidade, e sua mãe, uma artista plástica, o colocaram no ensino fundamental em uma escola tradicional, daquelas em que é necessário até uma entrevista com o diretor para poder ingressar nos estudos.

Não deu muito certo. Hardy até passou pela prova no colégio, mas falhou miseravelmente na entrevista. "Eu provavelmente não estava focado na pessoa que me perguntava as questões, e naquele momento eles estavam, 'Bom, não conseguimos falar com esse garoto, ele está longe com as fadas'. E eu fiz uma carreira fugindo com as fadas, mas aos 11 anos como você sabe o que o futuro aguarda?", analisou o ator.

Tom Hardy em cena de "Band of Brothers" - Reprodução - Reprodução
Tom Hardy em cena de "Band of Brothers"
Imagem: Reprodução

Aos 15 anos, Tom Hardy foi diagnosticado com esquizofrenia. "'Ele é um pequeno psicótico, esquizofrênico com tendências psicopatas'. Essa foi a opinião de um médico. O que foi maravilhoso. Esse é um grande rótulo para alguém com 15 anos. E é um rótulo imbecil. Eu fumava um pouco de maconha e tinha comportamento antissocial e estava machucado, e talvez tenha atuado um pouco na frente do médico para ter uma reação", lembra.

Seu remédio para o tal "rótulo" foi entrar para uma escola de atuação. Hardy era um estudante da Drama Centre London quando foi escalado como um soldado na minissérie "Band of Brothers", em 2001, o primeiro passo para o sucesso. 

Ele entende os problemas do Venom

Tom Hardy também revelou que seu Eddie  Brock é uma mistura da paranoia do Woody Allen com a truculência do lutador Conor McGregor. Ele garantiu que usou os próprios problemas do passado para dar vida ao vilão do Homem-Aranha, praticamente uma jornada de autoconhecimento em um trabalho "empolgante", como o próprio define, por ser quase dois papéis diferentes no mesmo filme.

"O personagem tem um padrão ético, o simbionte, vindo de outro planeta, não tem essa mesma ética, então eles têm de trabalhar juntos para se ligarem. Ele tem uma besta que vive dentro dele, sem pagar aluguel. É como se alguém pegasse uma doença tropical e ficasse louco. É como lidar com uma doença mental, em algum aspecto, o que eu entendia bem, tendo minha cota pessoal de problemas mentais que são relevantes, como ter sido viciado", diz o ator.

"Estou acostumado a ser a terceira pessoa, acho que tenho múltiplas personalidades dentro de mim, que representam diferentes partes de mim e que às vezes permito que sentem no lugar do piloto", completou.