PUBLICIDADE
Topo

Empresas de Hollywood prometem melhorar representação trans em carta aberta

Ava DuVernay  - Getty Images
Ava DuVernay Imagem: Getty Images

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

07/08/2018 10h54

Quase 50 empresas de Hollywood, incluindo produtoras, agências de talento, estúdios e grupos ativistas, assinaram uma carta aberta prometendo maior e melhor representação de personagens transgêneros em suas produções. O texto foi publicado na "Variety" nesta terça-feira (7).

Duas organizações envolvidas nos direitos LGBTQ+, GLAAD e 5050by2020, lideram a campanha. Entre os assinantes: a Array Alliance, produtora comandada por Ava DuVernay ("Selma", "Uma Dobra no Tempo", "Queen Sugar"); a Bad Robot, liderada por J.J. Abrams, responsável pela franquia "Cloverfield" e por séries como "Castle Rock"; e a Act III, de Norman Lear, produtora de "One Day at a Time".

"Acreditamos estar em um momento cultural sem precedentes - um momento em que podemos pedir para Hollywood usar o seu poder para melhorar a vida de pessoas trans e mudar a forma como os Estados Unidos veem essas pessoas", diz parte da carta, que cita dados de mortalidade e desemprego para revelar a discriminação contra pessoas transgênero no país.

"Hollywood conta as histórias que ajudam as pessoas a entenderem como se sentir sobre si mesmas, e como se sentir sobre aquelas pessoas ao seu redor que são diferentes", continua o texto. "Como [o crítico de cinema] Roger Ebert disse: 'Os filmes são uma máquina de empatia'. Sabemos que títulos como 'Ellen', 'Will & Grace', 'O Segredo de Brokeback Montain', 'Milk' e 'Moonlight' ajudaram a quebrar estereótipos sobre pessoas gays e lésbicas".

"Mulheres, pessoas de diversas etnias, religiões, e pessoas com deficiências deixaram claro que querem histórias mais autênticas sobre suas vidas nos filmes e na TV. As pessoas transgênero se sentem da mesma forma", completam.

Como forma de assistir os estúdios no retrato de personagens transgênero, a 5050by2020, liderada pela criadora de "Transparent", Jill Soloway, lançou um guia de sugestões e recursos para os grandes estúdios na hora de produzir, escalar ou escrever projetos focados nas experiências trans. Confira o documento aqui..

A movimentação em torno da representação trans em Hollywood acontece pouco depois de uma polêmica envolvendo o filme "Rub & Tug", que visava contar a história real de um homem transgênero que foi chefe do crime em uma cidade norte-americana. A escalação de Scarlett Johansson para o papel causou polêmica porque a atriz se identifica como uma mulher cisgênero, e poucos dias depois a estrela decidiu se afastar do projeto.

Leia a carta completa aqui.