PUBLICIDADE
Topo

Baianas protestam com só brancas no palco de Ben Jor: "Cadê as pretas?"

Mulheres sobem ao palco e protestam durante a música "Gostosa" em show de Jorge Ben Jor, em Salvador - Reprodução/Instagram/@capoeiramulher
Mulheres sobem ao palco e protestam durante a música "Gostosa" em show de Jorge Ben Jor, em Salvador Imagem: Reprodução/Instagram/@capoeiramulher

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

05/08/2018 21h13

O clima esquentou no final do show "Salve Simpatia", de Jorge Ben Jor, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador, na Bahia, na noite de sábado (4). Tudo começou quando o cantor tocou os primeiros acordes da música "Gostosa" e aí homens da produção do espaço cultural chamaram nove mulheres para subirem ao palco e dançarem com o músico. O problema era que as "selecionadas" eram brancas e saradas e isso acabou criando um climão no restante da plateia.

Os gritos de "Cadê as pretas?" e "Negona" ganharam força no teatro e começou um protesto contra Jorge Ben Jor e sua equipe, que foram acusados de preconceituosos e machistas. Não demorou muito para que 30 mulheres subissem ao palco para protestar contra o que elas também gritavam ser sexismo. O grupo foi ovacionado pelo público baiano.

Veja o vídeo da confusão 

Visivelmente constrangido com a situação, Jorge Ben Jor acabou chamando outras pessoas e o show terminou em festa ao som do sucesso  "Taj Mahal".

O UOL entrou em contato com o escritório do cantor, que informou desconhecer o episódio. "Não sabemos de nada porque ainda não falamos com as pessoas que viajaram e participaram do show na capital baiana.", explicou um assessor, que não quis se identificar. 

Ao longo deste domingo, o assunto ainda era bastante comentando, em Salvador, com vários grupos ligados as mulheres se manifestando como o CapoeiraMulher nas redes sociais:

 "Cadê as pretas? Cadê as pretas? Gritávamos, todas. Não é sobre capoeira, mas é sobre ser #mulher e ser #gostosa, por isso vou contar para vocês. Ontem, na apresentação maravilhosa de #jorgebenjor, em Salvador, rolou treta das boas. Segundo o próprio cantor, há 15 anos a produção do show escolhe “mulheres gostosas” para subir no palco e dançarem com o Jorge na apresentação da música “Gostosa”. A brincadeira, que é sexista por si só é poderia ser evitada, também gera outro problema - o perfil das mulheres que o cara da produção entende como sendo gostosas - as nove meninas que subiram ao palco eram magras e brancas. Cadê as pretas? Cadê as gordas? Cadê a diversidade de gostosas no palco? Nada", escreveu Daniele Canedo em uma postagem e ela terminou o texto com um aviso. " Eu espero que tenha ficado a lição para esse povo - não vamos mais aceitar a reprodução desses padrões." 

Cadê as pretas? Cadê as pretas? Gritávamos, todas. Não é sobre capoeira, mas é sobre ser #mulher e ser #gostosa, por isso vou contar para vocês. Ontem, na apresentação maravilhosa de #jorgebenjor, em Salvador, rolou treta das boas. Segundo o próprio cantor, há 15 anos a produção do show escolhe “mulheres gostosas” para subir no palco e dançarem com o Jorge na apresentação da música “Gostosa”. A brincadeira, que é sexista por si só é poderia ser evitada, também gera outro problema - o perfil das mulheres que o cara da produção entende como sendo gostosas - as nove meninas que subiram ao palco eram magras e brancas. Cadê as pretas? Cadê as gordas? Cadê a diversidade de gostosas no palco? Nada. Acontece que quando o cara passou e escolheu uma menina que estava bem perto de nós, essa negra linda aí da foto pediu a pulseirinha a ele e ele disse, claramente: “Você, você não”. Eu ouvi. Ela reagiu: “Oxe, pq eu não?”. Pois foi só a música começar que essa preta parou o show para mostrar que #vaiterpretasim e #vaitergordasim por que #somostodasgostosas. Eu espero que tenha ficado a lição para esse povo - não vamos mais aceitar a reprodução desses padrões. Eu fiquei muito feliz e sai de lá transbordando não só pela ocupação do espaço, mas também pelo show maravilhoso. Mas, é preciso ressaltar, preferia mesmo que eles não repetissem mais a brincadeirinha sexista. #sexismo #conchaacustica #tca #salvador #racismo #capoeiramulher

Uma publicação compartilhada por Capoeira Mulher (@capoeiramulher)

em

Errata: o texto foi atualizado
A primeira versão do texto informou incorretamente que o incidente aconteceu na madrugada de domingo.