PUBLICIDADE
Topo

Gloria Groove revela preconceito em igreja por ser "homem vestido de mulher"

Gloria Groove - Divulgação
Gloria Groove Imagem: Divulgação

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

27/07/2018 18h49

Gloria Groove revela que sofreu preconceito na igreja após se transformar em drag queen. Durante participação no programa "Mariana Godoy Entrevista", que irá ao ar nesta sexta-feira (27), a cantora critica a hipocrisia dentro da religião que prega o amor incondicional e, depois, a discrimina por ser "homem vestido de mulher".

"Foi um escândalo, as pessoas ficaram inconformadas. Recebi ligações de dentro do Ministério informando que a partir do dia em que eu passei no programa tal, montada, eu não poderia mais subir no púlpito, afinal, sou um homem vestido de mulher", relembra Gloria Groove.

A cantora, que começou a carreira aos sete anos como integrante da Galera do Balão, nova formação do Balão Mágico, cantou em igrejas dos 8 aos 13 anos e chegou a gravar um CD gospel em parceria com a Renascer.

"Não entendo muito bem o amor incondicional que a igreja aprende e prega depois. Se é tão incondicional assim, por que as condições? É de uma hipocrisia inimaginável", repudia.