Topo

Música


Com Gil, Coala Festival dobra de tamanho e reflete força da cena baiana

I Hate Flash/Divulgação
Caetano Veloso encerra o Coala Festival 2017, em São Paulo Imagem: I Hate Flash/Divulgação

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

2018-07-27T04:00:00

27/07/2018 04h00

Celebrar a música brasileira e dar visibilidade para a cena contemporânea. Essa é a intenção do Coala Festival desde sua primeira edição em 2014, quando reuniu nomes estrelados, como Tom Zé e Criolo, ao lado de novos artistas e bandas, como 5 a Seco, Trupe Chá de Boldo e O Terno.

Cinco anos depois, o Coala ganha edição anabolizada, com um dia a mais e o dobro de atrações, mostrando que aquela onda apontada na primeira edição ainda era uma marolinha, visto a fartura de novos sons surgidos nos últimos anos.

“Surfamos na onda da internet em 2014, quando essa cena já existia, mas estava longe de estar onde ela está hoje. Hoje a gente tem muito mais nomes chegando nesse ‘midstream’ do que a gente tinha em 2014”, comenta Gabriel Andrade, criador e curador do festival ao lado do jornalista e produtor Marcus Preto.

Nessa edição especial de cinco anos, marcado para 1 e 2 de setembro, mais uma vez no Memorial da América Latina, em São Paulo, onde o festival criou raiz, a mistura entre consagrados e apostas volta ainda mais potente.

Se de um lado, Milton Nascimento (em show com participação de Criolo), Gilberto Gil e Elza Soares são garantias de shows memoráveis, do outro, artistas que têm trazido frescor e força na música brasileira, como o rap de Baco Exu do Blues, as canções indie-folk do Rubel e a sempre festiva Francisco, el  Hombre, dão uma boa pincelada de uma cena que já anda sozinha com as próprias pernas – e que ganha assim a oportunidade de tocar para uma plateia ainda maior.

Como antena dessas novidades, o festival fechou seu line-up com quase metade das apresentações sendo defendidas por artistas baianos. “A Bahia como um todo é o berço da música brasileira, sempre foi efervescente, mas agora, recentemente, parece que está mais efervescente ainda. Está com um protagonismo gigante”, explica o curador.

Além de Gil, que vive uma fase produtiva com um disco de inéditas a caminho, os nomes mais quentes dessa onda baiana, como as cantoras Luedji Luna e Xenia França, e o coletivo ÀTTØØXXÁ, que mistura eletrônico com o pagode baiano, prometem dar mais que um cheiro desse protagonismo, que ganhou destaque no UOL em abril desse ano. “Se deixar, eu consigo montar um line-up só com artistas baianos", observa Andrade.

Matheus Aragão/Divulgação
O rapper Baco Exu do Blues é uma das atrações da nova cena baiana Imagem: Matheus Aragão/Divulgação


Para aproveitar os cinco anos de existência, o festival promete outras experiências além da música. “Queremos refletir nossa sociedade contemporânea, o que está acontecendo em várias frentes. Trazer mais formas de arte, além do grafite e da dança, ter a cenografia como forma artística. Pensar o espaço e a experiência para levar as pessoas para outros lugares."

Alguns erros da edição passada, como as longas filas para alimentação, não passaram sem revisão. “A gente sempre fala que o Coala é um festival beta, um festival em construção”, explica. “Esse ano estamos focados em resolver esses problemas, em como ocupar aquele espaço de forma mais inteligente”.

Confira, em primeira mão, a programação completa, com os horários dos shows e DJs:

Sábado, 1 de setembro

12h - 13h40: DJ Mary G
13h40 - 14h40: Francisco, El Hombre
14h40 - 15h10: DJ Pedro B
15h10 - 16h: ÀTTOOXXÁ
16h - 16h30: DJ Salvador Araguaya
16h30 - 17h20: Academia da Berlinda part. Lula Lira
17h20 - 17h50: DJ Rodrigo Bento
17h50 - 18h40: Xenia França
18h40 - 19h10: Bandida Coletivo
19h10 - 20h: Baco Exu do Blues
20h - 20h30: DJ Tata Ogan
20h30 - 22h: Gilberto Gil

Domingo, 2 de setembro

12h - 13h40: Sound Sisters
13h40 - 14h40: Johnny Hooker
14h40 - 15h10: DJ Giu Nunez
15h10 - 16h: Rubel
16h - 16h30: Shaka
16h30 - 17h20: Mano Brown
17h20 - 17h50: EB x Sleep
17h50 - 18h40: Luedji Luna
18h40 - 19h10: Feminine HI FI
19h10 - 20h: Ilú Obá de Min convida Elza Soares e Juçara Marçal
20h - 20h30: Coletivo ATM MOOC
20h30 - 22h: Milton Nascimento convida Criolo

Serviço

Coala Festival 2018
Data: 1 e 2 de setembro
Local: Memorial da América Latina - Praça Cívica
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda, São Paulo

Ingressos:
- Um dia de evento (1 ou 2 de setembro): 
1º lote: R$ 60,00 (meia-entrada*) e R$ 120,00 (inteira)
- Passe Coalático (dois dias de evento): 
R$ 110,00 (valor único)
*O valor de meia-entrada também será aceito para quem doar 1kg de alimento não-perecível
Ingressos: https://www.totalacesso.com/evento/coala_festival_2018