PUBLICIDADE
Topo

"4 Vidas": Autor minimiza polêmica com cão em filme e já adapta a sequência

Capa de "Juntos Para Sempre", sequência do livro "Quatro Vidas de um Cachorro" - Divulgação
Capa de "Juntos Para Sempre", sequência do livro "Quatro Vidas de um Cachorro" Imagem: Divulgação

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

26/07/2018 04h00

Para quem se envolveu com a história de Amigão, o protagonista de "Quatro Vidas de um Cachorro", saiba que o propósito dele ainda não foi totalmente cumprido. A trajetória do cachorro que morre e renasce em outro corpo com o objetivo de ajudar os donos segue em "Juntos Para Sempre", sequência do livro e que também será adaptado para o cinema.

O roteiro da sequência com previsão de estreia para maio de 2019 está de novo nas mãos de W. Bruce Cameron. Autor dos best-sellers, o americano enfrenta mais uma vez o desafio de transformar uma história própria em filme.

"Adaptar um livro para o cinema é um processo de decidir o que será cortado para amarrar a história. É sempre muito difícil, especialmente se é um trabalho próprio, como é o meu caso. São palavras, personagens e cenas que coloquei lá com um propósito, e cortá-los é complicado", explica W. Bruce Cameron em entrevista ao UOL.

Bruce - Ute Ville/Divulgação - Ute Ville/Divulgação
W. Bruce Cameron, autor de "Juntos Para Sempre"
Imagem: Ute Ville/Divulgação

"Por sorte tenho uma roteirista muito parceira, minha esposa Cathryn  Michon, que acaba me poupando de pirar de vez." Cathryn já havia colaborado no roteiro de "Quatro Vidas de um Cachorro", que acabou ganhando um cão a mais do que no livro para que fizesse sentido em 2 horas de vídeo. "Pode parecer até estranho, mas a decisão de colocar um cão a mais na versão para o cinema de 'Quatro Vidas de Um Cachorro' ajudou a sintetizar o roteiro", garante o escritor.

Em "Juntos Para Sempre", Amigão tem um novo propósito. Proteger Clarity, a neta de Ethan, o homem que ele acompanha da infância até a velhice no primeiro livro. Mais uma vez ele vai reencarnando como cão e cadelinha para poder reencontrar Clarity durante todas as fases de sua vida. 

Boicote ao primeiro filme

O segundo livro - lançado recentemente no Brasil pela HarperCollins - começa e termina com cenas na água, mas Bruce garante que isso não será um problema dessa vez. Há um ano e meio, o lançamento do filme de "Quatro Vidas de um Cachorro" aconteceu em meio a uma polêmica por causa de uma cena com um pastor alemão.

Um vídeo em que o cão aparentemente sofre debaixo d'água durante as gravações foi vazado uma semana antes do longa estrear. Um processo de investigação foi aberto e várias entidades de defesa dos animais apoiaram um boicote internacional ao filme "Quatro Vidas de um Cachorro" liderado pela PETA (People for the Ethical Treatment of Animals).

Ainda assim, o misterioso vídeo gerou um desgaste menor do que o esperado no resultado das bilheterias. Com um custo de US$ 22 milhões, "Quatro Vidas de um Cachorro" arrecadou US$ 196 milhões globalmente. Os dados são do Box Ofiice Mojo. No Brasil, onde o boicote também foi estimulado, 175 mil pessoas foram ver o filme somente no final de semana de estreia, que teve arrecadação de R$ 2,6 milhões, segundo a ComScore.

W. Bruce Cameron classifica o incidente como uma farsa, e garante que não evitará as cenas de água na adaptação da sequência, que ainda não está finalizada. "Apesar de qualquer impressão falsamente criada por aquele vídeo do ano passado que foi claramente editado, o cão Hércules não sofreu em nenhum momento durante as filmagens. Por isso, não há necessidade alguma de mudar o roteiro de 'Juntos Para Sempre'", defende o autor e roteirista, que se diz um apaixonado por cães e tem vários títulos publicados dedicados a eles.

O escritor e roteirista destaca que, após o fim das investigações, nada foi encontrado que provasse maus-tratos aos cachorros durante as filmagens do longa lançado no ano passado. "Não posso dizer que isso vá evitar outra controvérsia, mas fomos inocentados de qualquer irregularidade com os animais por uma investigação independente de terceiros e pelas autoridades de Manitoba (província do Canadá onde 'Quatro Vidas' foi filmado)."

Ao menos duas entidades reguladoras acompanharão as filmagens de "Juntos Para Sempre". "O estúdio já se comprometeu com a American Humane  Association e a Agência de Proteção aos Animais para garantir condições seguras de trabalho para os animais. A minha presença no set não é nem um pouco necessária", garante Bruce, que no ano passado chegou a receber ameaças de morte após a divulgação do vídeo.

"Por mais assustadoras que as ameaças contra a minha família pareciam, eu as interpretei como algo dito da boca pra fora por pessoas de mente doentia. Quanto a mim, sigo pró-resgate, pró-cães e contra a legislação que discrimina cães por raça. Se isso me põe em desacordo com organizações bem financiadas que gostam de atingir pessoas como eu, que assim seja."

Uma mulher na direção

Apesar de W. Bruce Cameron e Cathryn Michon seguirem como roteiristas, e Gavin Polone mais uma vez assumir a produção da adaptação, a grande mudança de "Juntos Para Sempre" acontece no principal cargo: a direção.

Gail Mancuso - Alberto E. Rodriguez/Getty Images for DGA - Alberto E. Rodriguez/Getty Images for DGA
Gail Mancuso assume a direção de "Juntos Para Sempre", continuação de "Quatro Vidas de um Cachorro"
Imagem: Alberto E. Rodriguez/Getty Images for DGA

Quem assume é Gail Mancuso, que tem um longo histórico na televisão. Com 26 anos de carreira, ela já dirigiu episódios de séries como "Sabrina, Aprendiz de Feiticeira", "Friends", "Três é Demais", "Gilmore Girls" e "Modern Family".

"Tenho um exemplo em casa. Minha esposa Cathryn é uma diretora, então é muito importante para mim que mulheres tenham oportunidades iguais na hora de dirigir filmes", celebra Bruce, que se diz empolgado com a escolha. "A Gail é reconhecida como uma das mais profissionais, trabalhadora e simpática do ramo. Ela ama cachorros e deve transparecer isso no filme."