PUBLICIDADE
Topo

MV Bill debate maconha e critica diferença de tratamento entre ricos e pobres

MV Bill no programa de Pedro Bial - Reprodução
MV Bill no programa de Pedro Bial Imagem: Reprodução

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

19/07/2018 07h14

MV Bill falou o que pensa sobre maconha no "Conversa com Bial" de quarta-feira (18). O rapper comentou a diferença do tratamento policial para ricos e pobres que utilizam a droga e o contato inicial com a substância.

"Minha primeira lembrança da cannabis era dentro de casa, tinha familiares que usavam, pessoas próximas. Cresci tendo a maconha em volta de mim, e ao mesmo tempo ela era demonizada pela minha mãe, que dizia: 'Não se mete com aquele ali, é uma pessoa perigosa'", recordou.

Ele citou o tratamento diferente que as autoridades dão a quem utiliza a erva. "Uma pequena quantidade na mão e uma pessoa preta na favela é transformada em traficante, e gente com 130 kg, branca e rica, é solta. Dependendo do CEP da pessoa, ela pode ser [enquadrada como] traficante e não usuário".

Legaliza ou não?

Bill explicou sua posição quanto ao que deve ser feito. "Nunca fui panfletário da legalização, da descriminalização, mas nem fui totalmente contrário. É uma discussão que tem que se ampliar mais, pelas pessoas que usam de forma recreativa. Sou a favor do debate".

"Não sou caretão, mas sempre achei que, quando se fala que a legalização vai diminuir o tráfico e a violência, sempre discordei. O grande gargalo do Brasil é o tráfico das armas. Se não for maconha, eles vão traficar outras drogas, que são as que mais trazem dinheiro. E se liberar todas, essas armas estarão apontadas para outra coisa. O poderio não vai terminar". 

Para ele, a questão racial não pode ser descartada. "O Brasil tem dificuldade de ter comoção quando são jovens favelados e pretos que morrem. Enquanto não tiver esclarecimento racial, a mesma lei valendo para todos os lugares, terá um desequilíbrio, uma deficiência muito grande. Legalizando ou não".