PUBLICIDADE
Topo

Filme do Coringa com Joaquin Phoenix ganha data de lançamento e título oficial

O ator Joaquin Phoenix é cotado para viver o vilão Coringa nos cinemas - AFP/Tobias SCHWARZ/Reprodução/Montagem
O ator Joaquin Phoenix é cotado para viver o vilão Coringa nos cinemas Imagem: AFP/Tobias SCHWARZ/Reprodução/Montagem

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

18/07/2018 20h22

A Warner Bros. e a DC anunciaram nesta quarta-feira (18) que o filme solo do Coringa com Joaquin Phoenix será lançado em 4 de outubro de 2019. O projeto será chamado oficialmente de "Joker" (Coringa, em tradução livre), e vai enfrentar concorrência pesada nos cinemas.

Na mesma época estão previstos chegar às telonas "Gemini Man", "The Woman in the Window", "Jungle Cruise" e "The Goldfinch". "Mulher-Maravilha 1984" será lançado algumas semanas depois, em 1º de novembro.

Na última semana, o protagonista do projeto falou pela primeira vez sobre viver o vilão do Batman. "Eu levo muito tempo e consideração no que vou trabalhar. Então o processo [de aceitar o papel no projeto] foi, evidentemente, ler o roteiro, encontrar com o diretor e então continuar as reuniões e discussões com Todd [Philips]", disse para a "Collider".

"Eu fiquei impressionado com ele, e parece que Todd tem um entendimento muito grande sobre esse mundo e o que ele quer contar. E então há algo muito apelativo sobre isso e em trabalhar com ele neste projeto especificamente. Pareceu único, como se fosse o mundo dele em alguns momentos, e, na maioria das vezes, fiquei morrendo de medo. Talvez seja a coisa que vá te assustar mais", completou o ator.

O longa será dirigido por Todd Phillips, que também assina o roteiro ao lado de Scott Silver. O estúdio descreve o longa como "um estudo sobre um homem descartado pela sociedade". A ideia é que a história seja menos fantasiosa do que outras produções baseadas em quadrinhos, se aproximando mais de um drama policial.

Robert De Niro está cotado para entrar em "Joker", mas ainda nada foi confirmado.

O orçamento do filme está na casa dos US$ 55 milhões, valor considerado baixo para os padrões de Hollywood. Segundo o site Deadline, Martin Scorsese não está mais envolvido diretamente com a produção do longa, mas uma das produtoras de sua empresa, Emma Tillinger Koskoff, permanece no projeto.