PUBLICIDADE
Topo

"Estranhamente irresistível": Crítica internacional avalia o novo "Mamma Mia"

Cena de "Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo!" - Divulgação
Cena de "Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo!" Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

17/07/2018 12h05

Quase dez anos depois de sua estreia, “Mamma Mia” finalmente ganhou uma sequência. Intitulada “Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo”, a produção só chega por aqui no dia 2 de agosto, mas já está sendo comentada pela crítica internacional.

A revista “Entertainment Weekly” chamou o filme de “um musical karaokê com um coração de ouro e uma trama que é puro poliéster” e deu destaque à participação de Cher, que vive a mãe de Donna (Meryl Streep/Lily James): “Se ela não existisse, ela teria que ser inventada para o final, uma manifestação em carne e osso da fantasia da cultura pop vestindo um macacão creme, cantando ‘Fernando’. O desempenho dela é como o filme: cintilante, bobo, ao mesmo tempo exagerado e sincero – e filmado, em cada quadro, como um sonho”.

A revista “Variety” também falou do tom exagerado do longa ao elogiá-lo: “’Lá Vamos Nós de Novo’ é uma colcha de retalhos brega, como se você estivesse assistindo a uma cartilha para um filme feito pra chorar ser carregada por algumas das músicas pop mais deliciosas já gravadas. Mas o sentimento vem, especialmente no fim – um poema de amor dedicado ao laço primitivo entre mães e filhas”.

Já a “Hollywood Reporter” não se entusiasmou com a escolha das músicas do ABBA para a sequência, que conta com faixas menos conhecidas da banda sueca. “[O filme] é o equivalente cinematográfico de um Lado B: adequado, abençoado por alguns bons ganchos e propenso a ter fãs fervorosos. Mas ninguém prestaria muita atenção se o outro não tivesse sido tão grande”. Mas a publicação notou que o roteiro do novo filme é “bem melhor” do que o do original.

O jornal britânico “The Guardian” chamou o novo “Mamma Mia” de “estranhamente irresistível”. “Há algo na tolice implacável e no ridículo inflexível disso tudo que, combinado com o novo sabor de uma comédia autoconsciente, me fez rir apesar de mim mesmo: há performances divertidas e exageradas de Cher, Christine Baranski, Julie Walter e Alexa Davies, e algumas falas muito boas”.

A IndieWire notou a participação reduzida de Meryl Streep. “’Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo’ é uma sequência afável e enérgica ao hit de 2008. Também está sem sua maior estrela, Meryl Streep como Donna Sheridan, e sua ausência é muito sentida. Graças a Deus existe Lily Jame, cuja performance como uma versão jovem da heroína irrepreensível de Meryl Streep parece uma daquelas que leva uma atriz ao outro nível de sua carreira, enquanto mantém o confuso musical funcionando”.