PUBLICIDADE
Topo

Capa da "Paper", Pabllo Vittar defende: "Os gays no Brasil são muito mais fortes"

Capa da edição de julho da Paper Magazine - Divulgação
Capa da edição de julho da Paper Magazine Imagem: Divulgação

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

16/07/2018 16h47

Pabllo Vittar tem dado seus passos no mercado internacional. A cantora estampa a nova edição da "Paper Magazine", conceituada revista americana sobre tendências --você deve se lembrar de quando Kim Kardashian "quebrou a internet" ao posar nua na revista. Além de um ensaio exclusivo, Pabllo concedeu uma entrevista para a cantora britânica Charli XCX, com quem gravou a música "I Got It" no ano passado.

Apresentada como um "ícone" no Brasil, Pabllo ganhou um texto para explicar como se tornou "rapidamente uma das figuras 'queer' mais emblemáticas do mundo", somando bilhões de visualizações em seus clipes e sendo a primeira drag brasileira a entrar nas paradas e no horário nobre da televisão.

"Se eu não pudesse fazer drag, cantar ou fazer o que eu faço, eu me sentiria muito triste. Eu seria um pássaro longe do ninho", afirmou a cantora. "Foi muito difícil no começo. Eu sempre sonhei em ser capaz de atuar, estar em um palco, cantar e fazer arte, mas ao mesmo tempo eu não tinha muita esperança por causa de todo o bullying que eu tinha passado. As pessoas na escola diziam que eu nunca seria alguém, e por muito tempo na minha vida eu acreditei nisso."

A artista ainda afirmou que não tem preferência por ser chamada no pronome masculino ou feminino, mas que seu trabalho é uma homenagem às "gays femininas". "Se eu pudesse ter escolhido onde nasci, eu teria escolhido nascer aqui de qualquer maneira, porque as pessoas LGBTQ+ no Brasil são muito fortes. Não quero dizer que a comunidade não seja forte em outros lugares, mas aqui temos um trabalho a fazer: nos unir como pessoas."

Taste. The. Rainbow. @pabllovittar stunts on our final #PAPERPride cover! #linkinbio

Uma publicação compartilhada por Paper Magazine (@papermagazine)

em

O papo também passou por amenidades. Entre o número de perucas que ela guarda em casa (são 25, no total) e seu sonho de gravar com Demi Lovato, Beyoncé e Rihanna, Pabllo comentou que tem vontade de fazer shows em outros países a partir do ano que vem.

"Eu não acho que estou preparada ainda. Estou muito focada agora no meu novo álbum", contou. O clipe do primeiro single, ainda não revelado, será gravado em breve. "As pessoas vão ouvir a mesma influência de música brasileira do Norte e do Nordeste", prometeu.

E, claro, o beijo no produtor americano Diplo, no clipe de "Então Vai", entrou na roda. "A boca de Diplo e a minha deveriam estar juntas", brincou. "Seus lábios são doces e macios, parecia como comer jambu, que é uma fruta muito doce e deliciosa do Brasil."

Na entrevista, Charli comentou que toda vez que se encontra com Diplo ouve dele o quanto Pabllo é "hot". "Eu acho que ele tem um 'crush' em você", disse a britânica. Pabllo concorda. "Eu também tenho um 'crush' nele. Estive em Los Angeles gravando meu novo álbum, mas ele não estava lá. Foi triste. Mas só de respirar o mesmo ar que meu 'papai' foi realmente bom."