PUBLICIDADE
Topo

Aposta feminina da produtora dos Racionais, Alt Niss joga seu R&B na rua

Alt Niss põe seu som R&B para jogo em um momento em que o gênero ganha destaque no pop - Divulgação
Alt Niss põe seu som R&B para jogo em um momento em que o gênero ganha destaque no pop Imagem: Divulgação

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

13/07/2018 11h00

O toque feminino de Alt Niss, cantora vinda da zona sul de São Paulo, é a nova aposta da Boogie Naipe, produtora dos Racionais. O clipe que sela a parceria, "Não Vou Me Preocupar", pode ser visto com exclusividade no UOL.

No vídeo, dirigido por Nicholas Kjaer, a cantora passeia com amigas sob o neon cintilante de uma São Paulo noturna. Com produção e direção musical de DIA, a música fará parte do primeiro EP solo da cantora, que ela prepara para agosto.

Alt Niss, nome artístico de Eunice Santiago Albertini, faz música há 15 anos, influenciada pelos bailes de black music frequentados pela mãe e pelos tios.

Embora tenha participado como "dobra" de rappers, como Slim Rimografia e o trio 5 Pra 1, e do elogiado coletivo Rimas e Melodias, é a cremosidade de um R&B moderno e nada óbvio que ela joga nas ruas.

"Sempre me senti inserida no rap, porque era o único gênero com uma pitada do que eu fazia", conta ao UOL. "Eu sempre me imaginava cantando um refrão, dobrando a voz, fazendo backing vocal. Hoje a cena começa a criar um pouco mais de forma".

Em um momento em que o R&B começa a dar as caras, sendo inserido no funk e até no sertanejo, a cantora se sentiu livre para colocar sua voz doce em viagens diferentes. "Eu sou uma cantora de R&B, mas isso é mais espiritual do que tudo. Eu quero fazer coisas novas. Misturar um house, misturar o indie, misturar o trap para criar algo novo."

Foi essa mistura que conquistou Eliane Dias, a verdadeira voz da produtora, quando Jorge, filho dela com Mano Brown, mostrou o som da cantora. A produtora e empresária estava há tempos com a vontade de ter uma mulher no casting da casa. Alt Niss caiu como uma luva.

"Eu acompanho o Racionais desde criança, sou maior fã de todo mundo. Mano Brown é meu ídolo e descobrir que ele tem uma mulher foda foi melhor ainda", revela Alt Niss.

"Eu me identificava muito com as coisas que ela [Eliane] falava. E ver mulheres fazendo coisas que a gente cresceu vendo apenas os homens fazendo é um aprendizado. Assim como tem meninas me observando agora", diz AltNiss, que espera um verdadeiro levante feminino na música negra. "Eu ainda estou vindo. E ainda estão aparecendo mulheres fazendo coisas na música e na arte."