Topo

Música

Médico diz que Michael Jackson foi "castrado quimicamente" pelo pai

Getty Images
Joe Jackson acompanha o filho Michael na continuação do julgamento pelas acusações de abuso sexual de menores em Santa Barbara, na Califórnia Imagem: Getty Images

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

11/07/2018 20h42

O médico Conrad Murray falou um pouco mais sobre o relacionamento entre Michael Jackson e seu pai Joe Jackson, que morreu no dia 27 de junho.

O cardiologista, condenado por ministrar Propofol nos dois meses que antecederam a morte do rei do pop em 2009, chamou o patriarca da família Jackson de "um dos piores pais na história".

"O fato que ele [Michael Jackson] foi castrado quimicamente para manter a voz aguda é inexplicável. Espero que Joe Jackson encontre redenção no inferno", disse Murray em um vídeo divulgado pelo "The Blast".

O médico e os representantes da família Jackson não falaram sobre o assunto ainda. Michael Jackson morreu aos 50 anos em 2009 em decorrência de uma intoxicação por uso abusivo de remédios. 

Esta não foi a primeira vez que o ex-cardiologista insinuou de que o responsável pelo clássico "Thriller" sofreu alterações químicas na infância. No seu livro "This  Is It! The Secret  Lives of Dr. Conrad Murray and Michael Jackson", Murray relata que Joe forçava Michael a tomar injeções de hormônio aos 12 anos para curar a acne e prevenir que a voz do filho mudasse. 

Conrad Murray foi condenado a quatro anos pela morte de Michael Jackson e teve a pena reduzida para dois anos por boa conduta. Sua licença médica foi suspensa em três estados norte-americanos.