PUBLICIDADE
Topo

"Os Incríveis 2" não é filme para crianças, diz diretor da animação

Cena de "Os Incríveis 2" - Reprodução
Cena de "Os Incríveis 2" Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

04/07/2018 15h10

O cineasta Brad Bird retrucou no Twitter um fã que se disse "desapontado" com o uso de palavrões pelos personagens de "Os Incríveis 2", aventura animada da Pixar que chegou aos cinemas na última quinta (28).

"Eu amei 'Os Incríveis 2', mas é sério, Brad Bird, por que os palavrões? Eu provavelmente não vou comprar mais o filme [em DVD/Blu-Ray]. Essa foi a única coisa desapontadora nele. Eu não acho apropriado, e não deveria ter que filtrar um filme para crianças", escreveu a fã Jamie.

"Com todo o respeito, NÃO É um filme para crianças. É um filme animado, e tem a classificação PG", retrucou Bird, apontando para a classificação indicativa do filme, uma acima do rótulo "livre para todas as idades", ou G (general audiences), no sistema americano. A classe PG (parental guidance), aponta que o filme pode conter material não indicado para crianças, como linguagem inapropriada e violência, aconselhando que elas estejam acompanhadas dos pais.

A discussão esquentou o Twitter de Bird por algumas horas. Um outro fã se disse desapontado com a forma como "o filme não é adequado para crianças". "Minha filha de quatro anos de idade quase não conseguiu ver até o fim, mesmo depois de ter amado o primeiro", escreveu Matt Moylan.

"Ela tem 4 anos! Ela provavelmente assistiu ao primeiro filme no conforto de sua casa, onde poderia andar por aí e fazer outras coisas. Você acha mesmo que eu deveria escrever pensando em acomodar a atenção de uma criança de 4 anos? Você exige a mesma coisa dos épicos de 2 horas e meia da Marvel e da Lucasfilm?", respondeu Bird.

Por fim, o diretor teve que acalmar os seus seguidores, que continuaram o debate nas respostas: "Todo mundo se acalme. Todas as discussões se tornam muito polarizadas nas redes sociais (é o que eu menos gosto delas). Jamie só não queria que seus filhos falassem palavrões, e foi muito respeitosa ao me abordar. Eu, também respeitosamente, contrariei a ideia de que animações são uma mídia para crianças. Ninguém é o vilão aqui!".

Bird, que além dos dois filmes de "Os Incríveis" também dirigiu "O Gigante de Ferro" e "Ratatouille" em formato de animação, sempre foi um defensor da ampliação dos horizontes do formato - e não gênero, como ele ferrenhamente afirma.

"Animações não são o seu próprio gênero, são só uma forma de contar histórias", comentou ele em entrevista The Hollywood Reporter. "Animações podem ser filmes de terror, comédias adultas, contos de fada, ficções científicas, musicais, mistérios, qualquer uma dessas coisas".