Topo

Filmes e séries

Terry Crews depõe sobre abuso e diz que deixou "Mercenários 4" após ameaças

Divulgação
Terry Crews em cena de "Mercenários 2" Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

26/06/2018 14h31

Terry Crews foi ao Senado americano nesta terça-feira (26) para testemunhar sobre o abuso sexual que sofreu por parte do agente Adam Venit. Ele falou sobre o caso e afirmou que deixou o quarto filme da franquia “Os Mercenários” após ser ameaçado de demissão por um produtor caso não desistisse do processo civil.

Crews contou ao Comitê Judiciário do Senado que Avi Lerner, produtor de “Os Mercenários”, ligou para seu empresário e pediu que o ator abrisse mão da ação contra Venit para aparecer no novo longa.

Questionado se tem um papel no filme, Crews negou: “Não. Simplesmente porque esse mesmo produtor está sob sua própria investigação. Abusadores protegem abusadores, e essa foi uma coisa que eu tinha que decidir, se eu ia traçar esse limite. Vou ser uma parte disso ou vou me posicionar? Houve projetos que eu tive que recusar”.

No ano passado, Lerner foi processado por assédio sexual e por criar um ambiente hostil de trabalho, com discriminação por gênero. Na época, ele classificou as acusações como “mentiras”. 

Crews foi chamado para testemunhar em uma audiência sobre a cartilha de direitos dos sobreviventes de abuso sexual, que estabelece novas proteções às vítimas nas leis federais americanas. O artista relatou que os crimes sexuais sempre foram um problema na indústria cinematográfica.

“Hollywood definitivamente tem sido um local problemático, simplesmente porque muitas pessoas veem isso como um sonho. E o que acontece é que alguém tem poder sobre esses sonhos”, explicou Crews. “E você é levado a acreditar que esse tipo de comportamento é esperado, que faz parte do trabalho, que assédio, abuso e até estupro fazem parte do seu trabalho.”

O ator ainda afirmou que não tinha planos de denunciar o incidente, pois duvidava que a polícia fosse levá-lo a sério. “Eu provavelmente iria virar piada na delegacia. Um ano depois, quando o movimento #MeToo engrenou, era seguro denunciar. Quando sofre uma violência, você fica atrás das linhas inimigas, tentando encontrar uma saída. Você está tentando encontrar uma forma de se manter seguro. Ninguém vai te ajudar. Ninguém vai acreditar em você.”

Desde que falou publicamente sobre o caso, Crews foi contatado por vários outros homens que tiveram experiências semelhantes e não se sentiram à vontade para denunciar. “O que acontece é que você vai para uma lista negra, sua carreira fica em perigo. Depois disso, ninguém quer trabalhar com você.”

No ano passado, Terry Crews revelou que o agente Adam Venit agarrou seus genitais durante uma festa, em 2016. Ele chegou a denunciar o caso, mas as autoridades não prosseguiram porque o crime já havia prescrito. Ele então abriu um processo civil contra Venit e sua agência, a WME. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!