Topo

Geek

"Homem-Formiga": Paul Rudd gostaria de ser Thor e admite ter medo de dar spoilers

Marvel Studios
Paul Rudd, o Homem-Formiga, em cena de "Homem-Formiga e a Vespa" Imagem: Marvel Studios

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

26/06/2018 04h00

Paul Rudd não tem pinta de super-herói, mas ele é definitivamente um Vingador. O Homem-Formiga do Universo Marvel sabe que não seria a primeira escolha para viver um herói mais tradicional do que Scott Lang, mas ele tem a resposta na ponta da língua de quem gostaria de "roubar" o uniforme.

"Se eu tivesse que escolher um outro super-herói, acho que seria... Bom, todos são excelentes em seus papéis, mas eu gostaria de ser Thor", disse o ator, aos risos, durante uma em videoconferência direto de Los Angeles (EUA) da qual o UOL participou.

"Eu consigo ver você como Thor. Com essas suas mechas loiras faz sentido", completou o cineasta Peyton Reed, que estava sentado ao lado de Paul.

No papo descontraído de 30 minutos no escritório da Disney, em São Paulo, diretor e protagonista falaram um pouco mais sobre "Homem-Formiga e a Vespa", sequência que estreia nos cinemas brasileiros no dia 5 de julho e que inclui Evangeline Lilly como a nova heroína definitiva do enredo.

"Eu acho que Scott parece tranquilo com relação à nova parceria", analisou Paul. "O grande conflito dele é como ser um super-herói e ainda ser um pai responsável e bondoso para a filha. Essas duas coisas são difíceis de conciliar".

"Hope sabe o que ela deve fazer, e eu acho que Scott só fica com inveja, porque ela pode voar sem uma formiga. Mas eu acho que ele fica mesmo impressionado é com a habilidade dela e sabe que eles formam um bom time", completou o ator.

Marvel Studios
Paul Rudd, o Homem-Formiga, em cena de "Homem-Formiga e a Vespa" Imagem: Marvel Studios

Um medo: spoilers!

Vida de ator dos filmes da Marvel parece fácil, mas não se engane com as aparências. "Honestamente, fazer coletivas de imprensa de filmes da Marvel é o sentimento mais tenso do mundo. Porque estou sempre pensando no que posso ou não falar", brincou Paul Rudd. 

O diretor também entrou no jogo. "Kevin Feige [chefão da Marvel] tem vários monitores no seu escritório para saber onde cada um está fazendo uma entrevista. E quando uma pessoa fala algo que não deveria, ele solta um dardo tranquilizador". O ator completou: "Ele fica o tempo todo na cadeira, acariciando Baby Groot, como um vilão do James Bond".

Apesar das piadas, Peyton admite que descobriu uma forma de como não ser enganado por alguém quando o assunto é spoilers e, principalmente, "Vingadores 4", produção que Homem-Formiga e Vespa já foram confirmados.

"A melhor coisa enquanto estamos fazendo entrevistas é tomar café para estar de prontidão, porque as pessoas estão sempre tentando fisgar alguma informação. E se você está cansado, talvez acabe escorregando."

A dupla estava prevenida, e decidiu não falar muito sobre quais histórias Luis (papel de Michael Peña) vai contar sobre seus amigos e primos na sequência. Muito menos deu pista sobre a possibilidade de Homem-Formiga enfrentar novamente um Vingador, assim como ele fez com Falcão no primeiro filme. "Eu não sei, eu não assisti ao filme ainda", falou um mentiroso Paul Rudd.

Sem a deprê de "Guerra Infinita"

É meio óbvio que "Homem-Formiga" não tem a mesma carga dramática vista em "Vingadores: Guerra Infinita", e o diretor garantiu a sequência vai seguir com uma personalidade própria. "Viemos com um filme sobre um cara voando em cima de uma formiga logo depois de 'A Era de Ultron', que na época era o mais sombrio da Marvel", lembrou o cineasta na coletiva.

A primeira aparição de Scott Lang nos cinemas era mais calcada na comédia do que especificamente em cenas de ação, e foi justamente por isso que o filme agradou aos críticos e aos fãs, além de arrecadar uma bolada: US$ 513 milhões nas bilheterias mundiais.

"Na época, a gente deu uma suavizada e agora estamos em uma posição semelhante, porque somos um filme diferente. Nós amamos 'Guerra Infinita', mas estamos fazendo algo com outra tonalidade. Decidimos contar nossa história dentro do Universo Marvel e, quando o filme progride, começamos a perceber como vai se encaixar na linha do tempo da Marvel e como lidamos com isso", concluiu o cineasta Peyton Reed.