Topo

Filmes e séries

Veja como Amy Adams usou sua fama para proteger dublê de abuso em filmagem

Divulgação
Amy Adams em cena de "Objetos Cortantes", da HBO Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

20/06/2018 16h36

Amy Adams deu uma longa entrevista ao The Hollywood Reporter para falar sobre sua nova série, "Objetos Cortantes", da HBO. Em um dos momentos onde a indústria cinematográfica questiona ativamente o tratamento com as mulheres, ela explicou que teve que usar sua fama e poder dentro do set para impedir que sua dublê sofresse abusos na mão da equipe.

A personagem de Adams, Camille Preaker, é uma repórter que recentemente foi liberada de um hospital psicológico após sofrer muitos anos com episódios de automutilação. Assim como a atriz, uma dublê - usada nos sets para marcar posicionamentos e ajustes técnicos de iluminação -, também teve que usar próteses sobre sua pele para mostrar essas cicatrizes. Amy explicou que este processo em si já a colocou em um estado frágil e mais vulnerável até que um episódio a irritou.

Reprodução
Tanto atriz como a dublê tiveram que usar próteses para simular cicatrizes sobre a pele Imagem: Reprodução

"E eu tinha essa dublê incrível, Reb, que também estava com as próteses de cicatriz porque Jean-Marc [o diretor] queria ver o resultado já que ela estaria lá todos os dias também. Ela era fantástica, mas não estava recebendo o mesmo tratamento que eu. E eu nunca tive esse tipo de experiência. Eu e ela somos tão parecidas que em um ponto alguém chegou perto de mim, agarrou meu braço com força e me puxou. E eu falei algo tipo: 'O que está acontecendo aqui?'. E a pessoa logo se assustou e disse: 'Você não é a Reb", afirmou a atriz.

Diante da situação e percebendo que este seria o tratamento rotineiro, ela diz ter "entrado no modo produtora": "Eu não sou e você não vai tratá-la desta maneira".

Marti Noxon, criador da série, também falou sobre o episódio. "Essa é uma história verdadeira e acontece o tempo todo. E normalmente ela [Reb] não diria nada, mas tudo está mudando e as mulheres estão sendo mais parte da máquina. Aprendi muito com essa série e como quero fazer no futuro. Eu tenho esperança de ver o primeiro serviço de streaming com uma mulher no comando. Esse é meu sonho", afirmou.