Topo

Geek

"Westworld" tem mais a ver com "Lost" do que você imagina

Divulgação
Robert Ford (Anthony Hopkins, à dir.) com Dolores (Evan Rachel Wood) e Teddy (James Marsden) em cena da primeira temporada de "Westworld" Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

19/06/2018 04h00

ATENÇÃO: O texto abaixo contém pequenos spoilers de "Westworld" e "Lost". prossiga por sua conta e risco

“Westworld”, que encerrará sua segunda temporada neste domingo (24), tem funcionado quase como uma sucessora espiritual de “Lost”. Cheia de mistérios, a superprodução da HBO vai semana a semana construindo uma trama sofisticada entremeada com pistas e revelações que tornam a série surpreendente – e fazem os espectadores saírem em disparada atrás de pistas e teorias na internet.

Com certeza não é mera coincidência: JJ  Abrams, criador de “Lost”, é produtor executivo de “Westworld”, que, em vez de uma ilha, concentra sua ação (e seus questionamentos filosóficos) em um complexo de parques habitados por androides assustadoramente similares a humanos.

A comparação pode causar arrepios naqueles espectadores ainda descontentes com o final de “Lost”, que chegou ao fim em maio de 2010, após seis temporadas e muitas (muitas mesmo) questões não resolvidas. Mas “Westworld”, até o momento, tem uma vantagem: ela vem entregando respostas quase na mesma proporção em que levanta mistérios, de uma forma que sua antecessora nunca fez, e com um texto mais refinado.

Para você ver que não estamos brincando quanto às duas séries, separamos as semelhanças entre elas na lista abaixo. Confira:

Divulgação
James Delos em seu "bunker" em "Westworld" Imagem: Divulgação

O bunker

O quarto episódio da segunda temporada, “The Riddle of the Sphinx”, trouxe o que talvez seja a mais clara referência a “Lost” já feita em “Westworld”. Ele começa com James Delos em um apartamento de decoração clean e moderna, onde ele executa sua rotina diária: coloca música para tocar, prepara o café da manhã e faz exercícios em uma bicicleta ergométrica.

A sequência é muito parecida com uma das mais icônicas da série dos anos 2000: aquela em que somos apresentados a Desmond, logo no começo de um dos episódios da segunda temporada. O personagem surge também executando uma série de tarefas mundanas no que, mais tarde, se revelaria como um bunker no meio da ilha.

As diferentes linhas do tempo

A essa altura do campeonato, já deve estar claro para qualquer um que acompanha “Westworld” que a série trabalha com diferentes linhas do tempo. O recurso só foi explicitado na reta final da primeira temporada, em 2016 – e uma das diversões da segunda tem sido situar os eventos, como um quebra-cabeça.

Já “Lost” trabalhou desde o início com linhas do tempo claramente distintas, mas passou a embaralhá-las conforme seu final se aproximava, o que deixou muitos espectadores confusos.

Os homens de preto

Reprodução e Montagem/UOL
Os homens de preto em "Westworld" e "Lost" Imagem: Reprodução e Montagem/UOL

Bem antes de William passar a aterrorizar os anfitriões de “Westworld” após suas desilusões no parque, a TV já contava com um “homem de preto” marcante – e ele era um dos principais vilões de “Lost”. O homem em questão era a versão encarnada do monstro de fumaça (você se lembra dele?) e podia assumir várias formas. Uma delas foi a de John Locke, já perto do fim da produção.

Bichos onde não deveriam estar

A segunda temporada de “Westworld” começou com uma cena que envolvia um tigre morto bem no meio do parque que dá nome à série. Mas o que raios um tigre fazia no meio de um parque que remetia ao velho oeste americano? No terceiro episódio, descobrimos que ele veio de um parque com temática indiana, o Raj.

Já “Lost” nos deixou por muito tempo intrigados com o urso polar encontrado no meio da ilha tropical. Ele era, no fim das contas, uma das cobaias para os experimentos da Iniciativa Dharma. Falando nisso, a Dharma e a Delos também são bem parecidas, não? Duas organizações das quais pouco se sabe, com operações nebulosas e intenções escusas....

*Bônus: a mesma passagem de “Alice no País das Maravilhas”

Ainda na primeira temporada de “Westworld”, Bernard pediu para Dolores ler a seguinte passagem de “Alice no País das Maravilhas”: “Ai, meu Deus! Como tudo está esquisito hoje! E pensar que ontem tudo estava normal. Será que eu mudei durante a noite?”

O mesmo trecho já havia aparecido na quarta temporada de “Lost”, lido por Jack para Aaron, o bebê de Claire. Escolha bem apropriada para duas séries misteriosas, não?

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!