Topo

Música

Toda música oficial de Copa do Mundo é uma bomba? Tire a prova

Pedro Ugarte/AFP Photo
Jennifer Lopez, Pitbull e Claudia Leitte, o trio que gravou a música oficial da Copa de 2014, disputada no Brasil Imagem: Pedro Ugarte/AFP Photo

Do UOL, em São Paulo

09/06/2018 04h00

Há espaço para o rock, pop, rap, gospel, ópera, orquestra. Tem música boa, música ruim (várias), música meio bizarra. Desde 1962, a Copa do Mundo divulga pelo menos uma faixa oficial, lançada para ser explorada comercialmente durante o evento e embalar os craques nos gramados do mundo.

Quem já foi convocado para esse time de músicos? Ricky Martin, Rick Wakeman, Placido Domingo, Shakira e até os bambas Ennio Morricone e Giorgio Moroder. O Brasil foi representado duas vezes nesta esquete, com uma cantora e um compositor exilado durante a ditadura. Sabe quem são? Veja abaixo.

Chile, 1962 - "El Rock del Mundial" -  Los Ramblers

A Copa que testemunhou o bicampeonato do Brasil teve como tema um irresistível rock and roll composto em espanhol pela banda chilena Los Ramblers. A ideia era levantar a bola do time local, que sediou o evento. Deu certo: o Chile fez a melhor campanha de sua história, terminando numa honrosa terceira colocação, sendo eliminado apenas na semifinal para os brasileiros. Responsa.

Inglaterra, 1966 - "World Cup Willie" - Lonnie Donegan

Os organizadores convocaram Lonnie Donegan, o “rei do skiffle”, um dos músicos britânicos mais influentes de todos os tempos, para gravar o tema da Copa da Inglaterra. A faixa nada mais é do que uma homenagem a Willie, mascote oficial do Mundial, que foi vencido pelos donos da casa. Na época, dominada pela beatlemania, Donegan já era um músico em decadência. Não pegou.

México, 1970 - "Fútbol México 70" - Los Hermanos Zavala

Achou que Claudia Leitte foi a primeira pessoa nascida no Brasil a se envolver com uma música de Copa? Achou errado! Exilado no México durante a ditadura militar, o compositor carioca Roberto do Nascimento é o autor de "Fútbol México 70", tema executado por um coral com orquestra e mariachis. O estilo da composição não por acaso lembra o de Sérgio Mendes, já um astro internacional na época.

Alemanha Ocidental, 1974 - "Futbol" - Maryla Rodowicz

Uma das bizarrices envolvendo música de Copa: a canção oficial do primeiro Mundial realizado na Alemanha foi cantada por uma polonesa, com letra em ...polonês. Achou esquisito? Também há trechos em inglês, alemão, russo e espanhol. E o português, idioma do tricampeão Brasil, terra de Pelé, principal seleção do mundo havia 16 anos? Nem pensar. Mas a faixa fez algum sucesso na época.

Argentina, 1978 - "El Mudial" - Orquesta Filarmónica de Buenos Aires

O tema do torneio da Argentina é, na verdade, um “hino” executado com a Filarmônica de Buenos Aires. Foi composto por ninguém menos que o italiano Ennio Morricone, lenda das trilhas de westerns, como "O Bom, o Mau e o Feio" e “Era uma Vez no Oeste”. Traz um coral de vozes e uma linha de baixo à la disco music, febre da época. Fica como curiosidade.

Espanha, 1982 - "Mundial '82" - Plácido Domingo

No campeonato em que a seleção brasileira brilhou mas não levou contou com o Plácido Domingo na música oficial. Então com 37 anos, antes de gravar com John Denver e ganhar o mundo no projeto “Os Três Tenores”, o terno ainda não era uma figura tão conhecida globalmente. O ritmo acelerado do flamenco dá o tom a uma ópera da boleira, que teve fim melancólico para os brasileiros.

México, 1986 - "A Special Kind of Hero" - Stephanie Lawrence

A segunda Copa do México foi a primeira a ter várias músicas oficiais. A mais conhecida é "A Special Kind of Hero", interpretada pela britânica Stephanie Lawrence e usada no filme oficial do evento. É um pop cadenciado e etéreo, com letra genérica e jeito de trilha de filme. O produtor/compositor? Rick Wakeman, mago dos teclados do Yes e de tantos outros projetos. Mas poucos se lembram dela.

Itália, 1990 - "Un'estate italiana (To Be Number One)" - Gianna Nannini e Edoardo Bennato/Giorgio Moroder

Mais um bambambã dos sons sintetizados se aventurando no futebol: Giorgio Moroder, precursor da música eletrônica. Este pop rock ganhou versões em italiano, inglês e espanhol, chegando a fazer sucesso em alguns países. Duas curiosidades: o single da música foi um dos primeiros compactos duplos da história e também um dos primeiros a trazer versão instrumental para karaokê. Faz sentido.

Estados Unidos, 1994 - "Gloryland" - Daryl Hall e Sounds of Blackness

A Copa do tetracampeonato brasileiro teve duas músicas oficiais: "We Are the Champions", clássico do Queen, e a tradicional “Gloryland”, cantada por Daryl Hall, da dupla Hall & Oates, em parceria com o grupo Sounds of Blackness. Esta última, uma balada pop/gospel, recebeu clipe e foi executada na cerimônia de abertura. Não é nem de longe um dos melhores trabalhos dos artistas em questão, mas chegou ao número 36 na parada americana.

França, 1998 - "La Copa de la Vida" - Ricky Martin

E não é que o tema de 1998, na voz do então astro ascendente Ricky Martin, envelheceu bem? A faixa foi composta por Luis Gómez Escolar, Desmond Child (de Kiss, Bon Jovi e Aerosmith) e Draco Rosa, parceiro de Martin nos tempos do Menudo. É o segundo maior sucesso do cantor porto-riquenho, atrás somenta da igualmente sacolejante "Livin' la Vida Loca".

Coreia do Sul e Japão, 2002 - "Boom" - Anastasia

Lembra da principal música da Copa de 2002, a última vencida pelo Brasil? Não? Nós também não. Precisamos dar um Google. O compositor/produtor é Glen Ballard, que participou dos discos “Thriller” e “Bad” de Michael Jackson. Apesar de ter feito sucesso na Europa, o ritmo dance music não emplacou nos Estados Unidos nem aqui no Brasil. Aliás, será que a americana Anastasia já assistiu a algum jogo inteiro de futebol na vida?

Alemanha, 2006 - "The Time of Our Lives" - Il Divo e Toni Braxton

Outra pouco lembrada: a parceria entre o grupo britânico Il Divo e a americana Toni Braxton foi mostrada na abertura do evento em Munique. A letra do pop operístico aborda paixão e sonho, sem muita ligação direta com eventos esportivos. Não deu liga. O clipe ainda vinha com uma gafe, ao mostrar como um dos grandes momentos da história das Copas um gol anulado do zagueiro inglês Sol Campbell em 1998.

África do Sul, 2010 - "Waka Waka" - Shakira e Freshlyground

Trata-se de uma adaptação de "Zangaléwa", da banda camaronense Golden Sounds. Causou polêmica entre sul-africanos que queriam ver um artista local no lugar de Shakira. Mas não dá para dizer que o tiro saiu pela culatra. Muito pelo contrário. Permeada por ritmos africanos, a faixa é a música de Copa que mais fez sucesso, um dos grandes êxitos comerciais da colombiana. Acumula exorbitantes 1,9 bilhão de visualizações no YouTube.

Brasil, 2014 – "We Are One (Ole Ola)" - Pitbull, Jennifer Lopez e Claudia Leitte

A ideia era repetir o formato da anterior, agora com elementos do samba e da cultura brasileira, já que a Copa seria disputada no Brasil. Mas o resultado ficou aquém do esperado ao menos comercialmente. A melodia, pelo menos, é chiclete. E a música ainda ganhou uma versão “country zoeira” feita pelo americano Andy Rehfeldt a pedido do UOL. Arriscamos dizer que ficou melhor que a original.

Rússia, 2018 – "Live It Up" - Nicky Jam, Will Smith e Era Istrefi

Vivemos na era dos DJs e das raves. Portanto, nada mais natural que um tema em ritmo de balada “top”. Lançada no último dia 25 de maio, a faixa eletrônica traz produção do astro Diplo, parceria com The Picard Brothers e Free School. O ritmo acelerado traz o carisma de Will Smith e Nicky Jam, dos Estados Unidos, e Era Istrefi, cantora nascida no que hoje corresponde ao Kosovo —duas seleções que ficaram fora da Copa. Dificilmente repetirá outros hits.