Topo

Entretenimento

Associação nega acusações de abuso sexual feitas por Brendan Fraser

Divulgação
Cena de "A Múmia", um dos filmes de maior sucesso de Brendan Fraser Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

06/06/2018 13h24

A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), responsável pelo Globo de Ouro, negou as acusações de abuso sexual feitas por Brendan Fraser contra Philip Berk, ex-presidente da organização. Foi o próprio ator que contou o desdobramento do caso à revista “GQ”, a mesma publicação para qual revelou o abuso, no começo do ano.

Em fevereiro, durante uma entrevista à “GQ”, Fraser afirmou que foi apalpado por Berk em 2003, durante um almoço da HFPA. “Sua mão esquerda se aproxima, me agarra na poupa da minha bunda e um de seus dedos toca no períneo. E começa a movê-lo", relembrou o ator. Berk, por sua vez, negou a alegação, classificando-as como mentirosas.

À época da divulgação da história, a associação prometeu que iria realizar uma investigação interna sobre o caso. Em abril, Fraser foi contatado por um investigador independente, a quem recontou o ocorrido. Após o término da investigação, porém, a HFPA o procurou para propor um comunicado conjunto que classificava a questão como uma piada.

“Apesar de ter sido concluído que o Sr. Berk tocou inapropriadamente o Sr. Fraser, a evidência aponta que o toque era para ser levado como uma piada, não como um avanço sexual”, dizia o comunicado, em que a HFPA ainda pedia desculpas a Fraser e escrevia que “todas as partes consideram o caso concluído”.

O ator se negou a assinar o comunicado. “Eu não entendo a piada”, afirmou ele à “GQ”, dizendo que se sentiu violado com o toque. “Eu sou o único que sabe onde fui tocado”. Fraser ainda contou que a HFPA se negou a compartilhar com ele o relatório completo com os resultados da investigação. Citando o sigilo necessário para proteger testemunhas, a associação enviou a ele apenas um resumo das conclusões.

Fraser disse se sentir como se estivesse sendo novamente forçado a se calar sobre o caso. “Há um sistema com regras não-escritas. Se você obedecer a ele, você será recompensando. Se não, você não será. Mas, além disso, eu quero encerrar esse episódio da minha vida e da minha carreira e seguir em frente, na esperança de que outros conseguirão o mesmo no futuro”.

O ator se pronunciou novamente na esperança de que a HFPA tome atitudes e peça a renúncia de Berk. “Queria dar a eles todas as oportunidades para mudarem isso. Acho que sou o primeiro tijolo do caminho. Talvez alguém coloque outro e o caminho continue. Não sei. Ainda não é tarde demais. Eles ainda podem fazer a coisa certa”.

À revista, Philip Berk afirmou que ainda era membro da organização e que não recebeu nenhuma reprimenda por parte dela. A HFPA não se pronunciou.

Mais Entretenimento