Topo

Filmes e séries

Tretas, palavrões e estrelismo: os bastidores da demissão de ator de "Máquina Mortífera"

Divulgação/Fox
Clayne Crawford e Damon Wayans em imagem da série "Máquina Mortífera" Imagem: Divulgação/Fox

Do UOL, em São Paulo

01/06/2018 18h01

A revista “Variety” divulgou os bastidores da demissão do ator Clayne Crawford da série "Máquina Mortífera", acusado de “comportamento agressivo e inapropriado” dentro do set de filmagem, que teria incluído até agressões ao coprotagonista Damon Wayans.

De acordo com a publicação, que ouviu 31 pessoas envolvidas na série, tais atitudes intempestivas dividiram a equipe e ajudaram a criar um ambiente tóxico ao longo da última temporada. As discussões eram tão frenquentes que seguranças precisaram ser contratados para que as brigas não terminassem em violência física.

Divulgação
Clayne Crawford e Damon Wayans em imagem da série "Máquina Mortífera" Imagem: Divulgação

Segundo a "Variety", que cita vários episódios,Clayne Crawford chegou a ter um ataque de estrelismo no último mês de outubro enquanto filmava uma cena em uma piscina pública de Los Angeles, em que ele tinha de ameaçar um homem com uma arma.

A filmagem, que se estendeu por horas, foi interrompida várias vezes por causa de ruídos externos, o que provocou a ira do ator, que fez um escândalo proferindo inúmeros palavrões. Segundo fontes ouvidas pela revista, o barulho vinha de crianças de 10 e 11 anos que estavam no local.

Abismando, um assistente de direção abandonou o set após o incidente e denunciou Crawford, que virou persona non grata entre a equipe da série.

Estopim

Mas a gota d´água para a demissão de Clayne Crawford aconteceu em março, quando Crawford e Wayans tinham de filmar uma cena que envolvia uma explosão com efeitos especiais. Durante a filmagem, Wayans foi atingido na parte de trás da cabeça por um estilhaço, sofrendo um corte.

Reprodução
Imagem: Reprodução

No dia seguinte, ele retornou ao set e começou a discutir de forma ríspida com Crawford. Eles se preparavam para rodar uma cena em que investigariam um escritório vazio. Após filmar a primeira parte, Wayans então teria se aproximado de um dos produtores e afirmado que não filmaria a segunda, que envolvia um tiroteio, por não se sentir seguro com a situação.

Um dublê contratado teve de rodar a cena, e Damon Wayans deixou o set e se dirigiu a seu trailer. Crawford foi tirar satisfação e, no meio do caminho, encontrou o assistente de Wayans, e os dois trocaram palavrões.

Enquanto um membro da equipe tentava separar os dois, Wayans saiu do trailer e entrou na discussão, assim como Matthew Miller, produtor-executivo de "Máquina Mortífera". A segurança do estúdio foi acionada e apartou a confusão. As filmagens precisaram ser interrompidas.

O episódio fez Warner Bros contratar seguranças particulares, que começaram a trabalhar em dois turnos no set para garantir que o episódio final da segunda temporada pudesse ser rodado. Revoltado com o colega, Damon Wayans o criticou duramente redes sociais, acusando-o de “terrorista emocional”.

O resultado de tanta confusão: Clayne Crawford foi demitido pelar Warner por irresponsabilidade profissional e comportamentos abusivos e o ator Seann William Scott foi contratado para o papel do investigador Martin Riggs, que no longa foi vivido por Mel Gibson. A terceira temporada da série estreia em meados de 2019.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!