Topo

Filmes e séries


Cate Blanchett lidera marcha feminina em Cannes para promover igualdade na indústria

ANTONIN THUILLIER/AFP
Cate Blanchett lidera marcha feminina no Festival de Cannes Imagem: ANTONIN THUILLIER/AFP

Do UOL, em São Paulo

12/05/2018 13h17

A vencedora do Oscar Cate Blanchett, presidente do júri do Festival de Cannes 2018, reuniu 82 mulheres para uma marcha contra a diferença de gêneros na indústria cinematográfica.

O grupo ocupou as escadas do Palácio dos Festivais. Kristen Stewart, Salma Hayek, Ava DuVernay, Marion  Cotillard, Patty  Jenkins e Agnes  Varda também estiveram no protesto.

Nos 71 anos de história do festival, apenas 82 filmes dirigidos por mulheres concorreram à premiação principal, número ínfimo perto dos 1.645 produções comandadas por homens.

A iniciativa precedeu a estreia do filme "Girls of the Sun". O movimento francês conhecido como 5050x2020 orquestrou o evento, lembrando sempre "o quão difícil ainda é subir na escada social e profissional".

"Enquanto o cinema francês não foi atingido pela onde de [Harvey] Wenstein, é essencial que a gente se mexa para que ações concretas atinjam mais do que a questão do abuso sexual", escreveu a organização em seu site.

A 5050x2020 continuou: "Nós acreditamos que a distribuição de poder deve ser questionado, acreditamos que a igualdade restaura o balanço do poder.

Alberto Pizzoli/AFP
Salma Hayek em protesto de atrizes, diretoras e produtoras em Cannes Imagem: Alberto Pizzoli/AFP

Discurso

A Palma de Ouro foi entregue somente para duas mulheres durante os mais de 70 anos do tradicional festival de cinema. Jane Campion conseguiu o feito com "O Piano", enquanto Varda levantou a estatueta honorária.

Algumas mudanças já foram notadas no festival. Nas 11 vezes em que três ou mais filmes dirigidos por mulheres participaram de uma edição em Cannes, oito foram nos últimos 13 anos. 

Em 2018, as mulheres em destaque com produções no evento incluem Nadine Labaki por "Cafarnaúm" e Alice Rohrwacher por "Lazzaro Felice".

 Cate Blanchett discursou ao lado da cineasta Agnès Varda após a iniciativa. Leia abaixo um trecho:

Nós encorajamos todas as mulheres e homens do mundo a levantarem para a mudança.

Nos degraus hoje estão 82 mulheres representando o número de diretoras que subiram esta escada desde a primeira edição do festival, em 1946. No mesmo período, 1688 diretores subiram estas mesmas escadas.

Nesses 71 anos, o consagrado festival recebeu apenas 12 mulheres como presidentas do júri. Tais fatos são indiscutíveis. As mulheres não são minoria no mundo, apesar da atual situação da nossa indústria mostrar o contrário. Como mulheres, todos nós enfrentamos desafios singulares, mas permanecemos unidas nestes degraus hoje como um símbolo da nossa determinação e comprometimento com o progresso.

Somos roteiristas, produtoras, diretoras, atrizes, diretoras de fotografia, agentes, editoras, distribuidoras e todas as envolvidas nas artes cinematográficas. Levantamos em solidariedade com as mulheres de toda a indústria.

Desafiamos nossos governos e os poderes públicos a aplicarem as leis sobre igualdade salarial". Vamos exigir que nossos ambientes de trabalho sejam diversos e iguais, para que sejam melhores refletidos no mundo em que realmente vivemos.

Um mundo em que permita que todas que prosperem ombro a ombro com nossos colegas masculinos. Temos o conhecimento de que todas as mulheres e homens estão batalhando por mudanças. As escadas da nossa indústria devem ser escaladas por todos. Vamos subir.