Topo

Filmes e séries

Weinstein ameaçou trocar Peter Jackson por Tarantino em "O Senhor dos Anéis"

Charley Gallay/Getty Images for The Weinstein Co
Harvey Weinstein e Quentin Tarantino na pré-estreia de "Os Oito Odiados" em Hollywood, em 2015 Imagem: Charley Gallay/Getty Images for The Weinstein Co

Do UOL, em São Paulo

03/05/2018 11h53

Harvey Weinstein ameaçou substituir o diretor Peter Jackson por Quentin Tarantino, se ele não reduzisse a adaptação do livro "O Senhor dos Anéis" para duas horas. A informação foi divulgada pelo site "The Guardian", que teve acesso a um livro do escritor britânico Ian Nathan "Anything You Can Imagine: Peter Jackson & The Making of Middle-Earth".

No livro, Weinstein achava que o diretor estava desperdiçando US$ 12 milhões no desenvolvimento de um roteiro de dois filmes. Weinstein teria dito que se Jackson não reduzisse a duração do filme, ele seria substituído pelo diretor de "Shakespeare Apaixonado", John Madden, ou por Quentin Tarantino.

Caso a ideia tivesse ido para frente, cenas como a do Balrog desapareceriam e Saruman poderia não aparecer também. Jackson teria respondido que se isso fosse feito, ele desapontaria todas as pessoas que leram o livro.

O projeto acabou se tornando em um imenso sucesso e, ao invés de dois filmes, foram feitos três, em 2001, 2002 e 2003.

Em dezembro do ano passado, Peter Jackson revelou que Weinstein fez uma "campanha de difamação" contra as atrizes Ashley Judd e Mira Sorvino, que estavam sendo cotadas para atuar em "O Senhor dos Anéis".

"Lembro-me da Miramax nos dizendo que elas eram um pesadelo para trabalhar e devíamos evitá-las a todo custo", disse Jackson. "Na época, não tínhamos motivos para questionar o que esses caras estavam nos dizendo. Mas, em retrospecto, percebo que era muito provável que a campanha de difamação da Miramax estivesse em pleno andamento. Agora suspeito que fomos alimentados com informações falsas sobre essas duas mulheres talentosas", completou.