Topo

Geek

"As pessoas amam fingir que estão ofendidas", diz criador de "Os Simpsons"

REUTERS/Phil McCarten
Matt Groening, criador de "Os Simpsons" Imagem: REUTERS/Phil McCarten

Do UOL, em São Paulo

27/04/2018 15h43

Matt Groening, criador de "Os Simpsons", rebateu as acusações de que a série reforça estereótipos com personagens como o indiano Apu. Em entrevista ao USA Today, Groening falou que não se importa com a polêmica.

"Eu estou orgulhoso do que fazemos no show. Acho que estamos vivendo uma época na nossa cultura em que as pessoas amam fingir que estão ofendidas", afirmou Groening.

De acordo com o criador da série, desde a primeira temporada, que foi ao ar em 1989, "Os Simpsons" são envolvidos em polêmica. "Quando começamos, fazíamos parte da queda da civilização. Bart disse que ele era "um fracassado orgulhoso". As camisetas dos Simpsons foram proibidas nas escolas. Eu acho que a controvérsia no início do show era, novamente, as pessoas fingindo estarem ofendidas pela insolência do Bart".

A discussão sobre estereótipos no humor da série explodiu no ano passado, com o lançamento do documentário “The Problem With Apu”, produzido por Hari Kondabolu, um comediante de família asiática, que critica o fato do personagem ser dublado com um sotaque caricato por Hank Azaria, um ator branco. 

No começo do mês, “Os Simpsons” deram sua resposta via desenho animado. Em uma das cenas do episódio "No Good Read Goes Unpunished", Marge Simpson se senta à cama com Lisa e lê um livro com ela. Lisa reclama da mensagem antiquada passada na história. “O que posso fazer?”, diz Marge.

“É difícil dizer, algo que começou décadas atrás e foi aplaudido e considerado inofensivo agora é politicamente incorreto. O que se pode fazer?”, diz Lisa, com uma foto de Apu em seu criado-mudo, olhando para a “câmera”. Marge adiciona: “Algumas coisas têm de ser enfrentadas mais tarde”. E Lisa conclui: “Se é que serão”.

Os telespectadores não engoliram. Alguns citaram que Lisa, geralmente a voz mais responsável e o centro da moral do programa, ficou em cima do muro. Outros lembraram o que o documentário sobre o personagem indiano traz. Principalmente ao lembrar como um ator branco virou a voz de um indiano, caçoando do sotaque dos asiáticos. “Tudo sobre Apu é uma piada recorrente. A piada é que ele é indiano”.