Topo

Filmes e séries

Morre aos 89 anos o cineasta Nelson Pereira dos Santos

Reprodução/YouTube
O cineasta Nelson Pereira dos Santos Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

21/04/2018 19h30

Morreu na tarde deste sábado (21), aos 89 anos, o cineasta Nelson Pereira dos Santos. Precursor do Cinema Novo, ele estava internado no hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, vítima de falência múltipla de órgãos.

O corpo de Nelson Pereira dos Santos será velado na próxima segunda-feira, na sede da ABL (Academia Brasileira de Letras), no centro do Rio. O enterro será no cemitério são João Batista, na zona sul da cidade.

Segundo informações divulgadas pelo canal pago GloboNews, Nelson Pereira dos Santos descobriu um tumor no fígado em estágio avançado na última quarta, quando foi internado por causa de uma pneumonia. Neste sábado, ele passou mal em casa e voltou para o hospital.

Nelson Pereira dos Santos deixa a mulher, Laurita Andrade Sant'anna dos Santos, quatro filhos (Nelson Pereira dos Santos Filho, Ney Sant'anna, Marcia Pereira dos Santos e Diogo Dahl) e cinco netos.

"Ele tinha essa visão de amor ao Brasil, de um homem que amava essa terra como poucos, me ensinou isso, e amor ao povo brasileiro, que é um povo trabalhador, esforçado, que luta todo dia. Acho que isso estava nos filmes dele, esse amor que ele tem por esse país e pela nossa gente", analisou Ney Sant'anna, filho de Nelson Pereira dos Santos, em entrevista ao "Jornal Nacional".

"Eu espero viver metade da vida que ele viveu. Meu avô foi uma presença muito importante na minha vida, não só como figura pública, a coisa de descobrir que meu avô é um grande cineasta, mas ele foi um superavô", contou Mila Chaseliov, neta do cineasta.

Reprodução
Cena do filme "Vidas Secas" (1963), dirigido por Nelson Pereira dos Santos Imagem: Reprodução

Trajetória

Nascido em 1928 no bairro do Brás, em São Paulo, Nelson Pereira dos Santos dirigiu o primeiro longa-metragem, "Rio 40 Graus", em 1955.

Reprodução
Cena do filme "Memórias do Cárcere", dirigido por Nelson Pereira dos Santos Imagem: Reprodução
Com mais de 20 filmes ao longo da carreira, Nelson Pereira do Santos foi o primeiro cineasta a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, em 2006.

Entre suas obras, estão obras-primas do cinema brasileiro, como "Vidas Secas" (1963) e "Memórias do Cárcere" (1984), adaptações de livros do escritor Graciliano Ramos (1892-1953).

"Vidas Secas", um dos filmes icônicos do Cinema Novo, foi a única produção cinematográfica brasileira a ser indicado pelo British Film Institute como uma das 360 obras fundamentais em uma cinemateca.

Divulgação / Bretz Filmes - RioFilme
Nelson Pereira dos Santos dirige o documentário "A Luz do Tom" (2013) Imagem: Divulgação / Bretz Filmes - RioFilme
Pelo longa da história dos retirantes fugindo da seca, Nelson Pereira dos Santos foi indicado ao Festival de Cannes, na França, mas foi com "Memórias do Cárcere" que o cineasta conquistou a Palma de Ouro, em 1984.

Nelson Pereira dos Santos também adaptou obras de Jorge Amado, como "Tenda dos Milagres" (1977), e dirigiu quatro documentários. O último, "A Luz do Tom" (2013), contava a trajetória do maestro Tom Jobim (1927-1994) por meio de três mulheres importantes na vida do músico: a irmã, Helena Jobim, e as cônjuges Thereza Hermanny e Ana Lontra Jobim.