Topo

Música

Elas persistem! Por que ainda vale a pena visitar uma loja de disco

Jose Cabezas/Reuters
Mesmo com a crise do formato e do fim das grandes redes, lojas de disco ainda persistem Imagem: Jose Cabezas/Reuters

Do UOL, em São Paulo

21/04/2018 04h00

Se você é daqueles que jamais cogitou jogar fora sua cara coleção de discos, sejam eles LPs, CDs ou mesmo fitas K7, você provavelmente sabe do que estamos falando. A praticidade dos streaming e dos meios digitais atuais pode ser insubstituível, assim como sempre foram os formatos físicos e as lojas de disco.

Este sábado (21), data em que se comemora o de “Record Store Day" (dia mundial da loja disco), é mais um bom pretexto para lembrar: os discos não morreram e estão em alta. Os estabelecimentos podem ter rareado, falido ou se transformado em sebos, mas elas persistem. comercializando novos e usados para um público mais restrito.

Várias cidades do Brasil e do mundo ainda possuem muitas lojas. Consulte aqui a mais próxima de você e veja abaixo porque ainda vale a pena frequentar tai "altares" da boa música.

Marcio Custódio
Evento do Record Store Day, o dia internacional da loja de disco Imagem: Marcio Custódio

Descobertas são mais democráticas

Em plataformas como Spotify, algoritmos te direcionam a músicas relacionadas ao que você gosta ou tem o hábito de ouvir. É ótimo. É prático. Mas há um problema aqui: esses serviços tendem a te enclausurar em uma camisa de força de gêneros musicais. As referências se repetem. Por exemplo: se você curte rock e só ouve música pela internet, fatalmente terá mais dificuldade para furar a bolha e se deixar seduzir por outras referências, algo muito mais fácil de acontecer em lojas físicas, com suas capa sedutoras à mostra.

Reprodução
Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel em cena de "(500) Dias com Ela" Imagem: Reprodução

Você pode conhecer pessoas

Você é daqueles que se ressente de não ter amigo(a) ou namorado(a) que compartilha de suas preferências sonoras? Já imaginou que as lojas podem te ajudar? Sim! Muitas amizades e casos de amor já começaram entre gôndolas e prateleiras. A inclinação pela música, assim como pela cultura em geral, diz muito sobre a personalidade de uma pessoa e pode ser o pontapé inicial de uma ótima conversa. E um adendo importante: diferentemente dos shows, as lojas de disco não cobram ingresso.

Zé Carlos Barretta/Folhapress
Luiz Calanca, dono da loja de discos Baratos e Afins, na Galeria do Rock de São Paulo Imagem: Zé Carlos Barretta/Folhapress

A sabedoria dos "gurus"

Lojas de disco costumam ser imãs de aficionados, daqueles que nutrem uma relação mais pessoal e menos superficial com a arte. Identificou-se? Dependendo do local, é possível encontrar donos/vendedores/balconistas que são verdadeiros mentores musicais, "gurus" ágeis não só em encontrar o que você precisa, mas em cruzar informações e contar histórias interessantes, com a sensibilidade que nenhuma ferramenta on-line ofereceria. E outra, óbvia: nada substitui um bom papo.

Alex Almeida/Folhapress
Muitas lojas permitem um "test drive" antes da compra de LPs usados Imagem: Alex Almeida/Folhapress

Rola música boa

Assim como no exterior, quase 100% dos estabelecimentos de discos brasileiros são negócios independentes. Vários deles promovem com regularidade eventos culturais, incluindo shows com novos artistas. Além disso, grande parte das lojas, principalmente os sebos e as de usados, costumam contar com toca-discos para você curtir um som ou simplesmente experimentar o seu objeto de desejo antes da aquisição. Como não poderia deixar de ser, trata-se de um ambiente extremamente aprazível musicalmente. 

Raquel Cunha/Folhapress
A Conceição Discos, que mistura restaurante e loja de discos em São Paulo Imagem: Raquel Cunha/Folhapress

Mergulho no passado

A maioria das lojas do país são, na verdade, sebos. Ou seja, há uma fartura de títulos de outros tempos, muitas vezes esquecidos. Ou seja, você tem a chance, por exemplo, de deixar um pouco de lado clássicos de Beatles, Led Zeppelin e Pink Floyd e mergulhar na discografia de nomes menos óbvios como Zombies, Terry Reid e Captain Beyond. Dá para fazer isso on-line? Sim! Mas a emoção de conhecer um artista novo em uma boa loja, principalmente quando ela pratica preços justos, é única. É fácil para perder horas passeando por títulos e procurando seus "bolachões" e CDs favoritos.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!